PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Após relatos de assédio, Vaticano intervém no Mosteiro de São Bento, diz TV

Mosteiro de São Bento afirma que os acusados foram afastados - Reprodução/mosteiro.org.br
Mosteiro de São Bento afirma que os acusados foram afastados Imagem: Reprodução/mosteiro.org.br

Do UOL, em São Paulo

05/12/2021 23h51Atualizada em 06/12/2021 07h43

O Vaticano afastou o abade responsável pelo Mosteiro de São Bento e colocou um interventor no comando do local após jovens denunciarem assédio de diversos monges, de acordo com reportagem veiculada neste domingo pelo Fantástico, da TV Globo.

O programa entrevistou um dos jovens que denunciou os religiosos: "Você vai pra um lugar onde você acha que é um lugar que existe a presença de Deus e você conhece mais a face do demônio", disse o rapaz que não se identificou.

Segundo ele, todas as vezes que tentou denunciar os abusos a outros religiosos, o assunto foi abafado. O jovem disse ainda que uma vez reportou assédios a um monge que ao invés de tomar providências, também passou a assediá-lo.

O rapaz, que era menor de idade na época dos abusos, disse que não se afastava da igreja porque pensava que poderia estar passando por uma provação, um teste sobre a força de sua vocação. No entanto, a situação acabou trazendo graves problemas psicológicos e ele chegou a pensar em suicídio.

Os monges que foram denunciados pelos rapazes são Rafael Bartoletti, conhecido como irmão Hugo, Marcílio Miranda Proença, chamado de Dom Francisco, Josiel Amaral e Dom João Batista. Dom Francisco morreu em 2020 de covid-19.

Os jovens denunciaram casos de assédio verbal ou por mensagens de texto e toques indesejados.

Em nota enviada ao Fantástico, o Mosteiro de São Bento afirmou que os acusados foram afastados e respondem perante a lei civil e à Justiça eclesiástica. O Mosteiro também afirmou que repudia os desvios de conduta, manifestou tristeza e solidariedade e pediu desculpas às vítimas e seus familiares.

A defesa de Rafael Bartoletti não comentou o caso, mas afirmou à TV que o monge comprovará a inocência. Os outros acusados não quiseram se manifestar na reportagem.

Caso você esteja pensando em cometer suicídio, procure ajuda especializada como o CVV e os CAPS (Centros de Atenção Psicossocial) da sua cidade.

O CVV (https://www.cvv.org.br/) funciona 24 horas por dia (inclusive aos feriados) pelo telefone 188, e também atende por e-mail, chat e pessoalmente. São mais de 120 postos de atendimento em todo o Brasil

Cotidiano