PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
3 meses

Helicópteros do Ibama são incendiados em aeroclube de Manaus

Helicóptero do Ibama foi quase inteiramente consumido pelas chamas após atentado na madrugada de hoje - Divulgação/PMAM
Helicóptero do Ibama foi quase inteiramente consumido pelas chamas após atentado na madrugada de hoje Imagem: Divulgação/PMAM

Do UOL, em São Paulo*

24/01/2022 13h39Atualizada em 24/01/2022 16h20

Dois helicópteros do Ibama foram atingidos por um incêndio na madrugada de hoje no Aeroclube de Manaus, no Amazonas. Uma das aeronaves, usadas para apoiar fiscalizações ambientais, foi quase completamente consumida pelo fogo, segundo imagens feitas no local.

As informações preliminares dão conta de que ao menos dois homens entraram no local e deram início ao atentado. O fogo foi controlado pelo Corpo de Bombeiros do estado.

Em nota, o Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) informou que enviou uma equipe até o Aeroclube para verificar a situação, já na manhã de hoje, e que os próprios funcionários acionaram os agentes da PF. A Polícia Civil não se envolveu na apuração do crime.

Uma das hipóteses consideradas é de que o ato criminoso pode ser um gesto de vingança decorrente das operações que o Ibama e a Polícia Federal realizaram em novembro do ano passado ao longo do Rio Madeira, no Estado do Amazonas, com a destruição de centenas de balsas de garimpo ilegal.

Em nota, o Ministério da Justiça e Segurança Pública informou que o "Governo Federal repudia qualquer ação contra a estrutura de combate aos crimes ambientais, como o incêndio criminoso ocorrido nesta segunda-feira (24) contra duas aeronaves do Ibama, em Manaus (AM). A Polícia Federal foi acionada imediatamente após o conhecimento dos fatos. O Ministério da Justiça e Segurança Pública, por meio da Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal e Força Nacional; e o Ministério do Meio Ambiente, por meio do Ibama e ICMBio, continuarão atuando de forma contundente contra os crimes na região da Amazônia".

O UOL entrou em contato com a Polícia Federal, que ficou responsável pela investigação do caso, para apurar a identificação de suspeitos. Assim que houver retorno, este espaço será atualizado.

* Com informações de Estadão Conteúdo

Cotidiano