PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
4 meses

Garota aponta arma para cabeça de colega durante briga em escola no DF

Jovem apontou arma para estudante de escola no Distrito Federal - Reprodução/Facebook
Jovem apontou arma para estudante de escola no Distrito Federal Imagem: Reprodução/Facebook

Do UOL, em São Paulo

23/03/2022 14h21Atualizada em 23/03/2022 14h21

A briga entre duas jovens em frente a uma escola estadual de São Sebastião (DF) terminou com uma das envolvidas apontando uma arma para a cabeça da outra.

O caso foi registrado ontem no Centro Educacional São Francisco, mais conhecido como CED Chicão. Imagens compartilhadas nas redes sociais mostram duas moças discutindo, sendo observadas por diversas testemunhas, quando em certo momento, uma terceira jovem se envolve: ela abre a bolsa, puxa uma arma e aponta para a cabeça de uma estudante da unidade de ensino, que recua.

No registro, a garota que empunhava a arma não faz disparos e guarda o objeto na bolsa depois de alguns segundos ameaçando a "rival", que levava uma mochila nas costas e usava uma camiseta de uniforme.

Em nota, a direção do CED Chicão pediu "medidas mais duras e incisivas" das autoridades para garantir um "ambiente de trabalho viável" nas unidades de ensino.

"A falta de recursos materiais e humanos compactua para um ambiente insustentável de manutenção de uma unidade escolar. Nossos jovens estão sofrendo com a falta de oportunidades e descaso com a educação, abrindo espaço para que a violência ocupe o cotidiano", afirmaram os responsáveis pela escola, nas redes sociais.

O comunicado ainda destaca que funcionários da rede estadual de ensino tem tentado manter uma "comunicação mais efetiva" com as forças policiais e com o Batalhão Escolar, mas os órgãos de segurança também tem reclamado da falta de contingente para garantir a vigilância de todas as escolas.

"Sabemos que em tempos de crise, como a que estamos vivendo, tende a aumentar os casos de violência em seus diversos aspectos. E, portanto, cabe às autoridades instauradas no momento darem uma devolutiva de ações que possam ser tomadas", pediu a página do CED.

"A realidade instaurada nos causa medo e angústia, mas clamamos que as forças do bem possam compactuar para uma realidade em que os valores humanos criem relações e ambientes sustentáveis à vida. (...) Para a segurança de todos e todas, as medidas devem ser mais duras e incisivas, tanto por parte das forças de segurança quanto por parte da Secretaria de Educação, que, urgentemente, precisa criar um ambiente de trabalho viável às pessoas que fazem acontecer o trabalho diário nas unidades escolares", concluiu a nota.

A secretária de Educação da capital, Hélvia Paranaguá, convocou os 14 coordenadores regionais de ensino da rede pública do Distrito Federal para uma reunião de emergência às 15h30 de hoje. De acordo com nota enviada ao UOL, o objetivo é discutir a violência nas escolas da região. Atualizações sobre futuras medidas serão fornecidas à imprensa apenas após o encontro.

Até o momento, as jovens envolvidas na confusão em frente ao CED Chicão não foram identificadas pelas autoridades. A 30ª DP (São Sebastião) informou apenas que está trabalhando para identificar a autora da agressão.

Cotidiano