PUBLICIDADE
Topo

Segurança pública

Motoqueiros roubam e perseguem vítimas em rua de Pinheiros; veja vídeo

Leonardo Martins

Do UOL, em São Paulo

26/04/2022 04h00

Câmeras de segurança de um estabelecimento comercial gravaram dois assaltos contra pedestres no mesmo dia na rua Mateus Grou, no bairro de Pinheiros, zona oeste de São Paulo, na última sexta-feira (22), durante o feriado de Tiradentes.

O método das duas ações é parecido: um motoqueiro estaciona, aborda as vítimas e depois as persegue pela rua. Um dos assaltos ocorreu logo no início da manhã e, o outro, à noite. A SSP (Secretaria da Segurança Pública de São Paulo) não encontrou registros das ocorrências.

O primeiro assalto

O primeiro roubo aconteceu às 7h47. A câmera mostra um motoqueiro, com mochila de entregador do iFood nas costas, indo e voltando na rua Mateus Grou de olho nos pedestres que passavam na calçada.

Um rapaz de blusão aparece passeando com seu cachorro e mexendo no que parece ser um celular. O motoqueiro observa e estaciona a moto logo à frente, aguardando o rapaz.

O criminoso, então, aborda a vítima e aponta um objeto —que se parece com uma arma— na direção dela. Mais adiante, ainda abordando o rapaz, o motoqueiro dá um chute em suas pernas. Logo depois, o homem consegue fugir, atravessando a rua e arrastando o cachorro pela coleira.

A partir daí, começa uma perseguição. O rapaz corre para um lado, o motoqueiro liga a moto e vai ao seu encontro, subindo na calçada. A vítima muda de direção e o criminoso o acompanha. Toda a cena acontece em frente a um trabalhador que aparece organizando latões de lixo na calçada.

O iFood afirma que há um "mercado paralelo" de mochilas da empresa e que "mantém um time dedicado à investigação e prevenção a fraudes", além de encaminhar denúncias e colaborar com as autoridades competentes.

O segundo assalto

Mais tarde, às 21h37 do mesmo dia, um motoqueiro aparece sentado na moto estacionada também observando os pedestres da calçada. Um casal de mãos dadas vai passar na frente dele, quando o motoqueiro saca um objeto da cintura para ameaçá-los.

O criminoso pega o celular das mãos de uma das vítimas —não é possível ver se ele também pega algo das mãos da outra. Os dois, então, decidem sair correndo na rua. O motoqueiro sobe na moto, liga e vai atrás dos dois. O casal passa a correr na direção oposta, tentando escapar do assaltante.

O que diz a vizinhança

O UOL esteve na rua Mateus Grou no final da tarde de ontem (25) e conversou com moradores e funcionários de estabelecimentos da região, que preferiram não se identificar.

Moradores explicaram que aquele trecho onde os assaltos aconteceram, principalmente na parte coberta do viaduto que encobre parte da rua, é conhecido por ter virado um ponto de estacionamento de motoboys.

No entanto, ainda segundo esses moradores, por causa do aumento do relato de furtos, frequentadores e moradores acionaram forças de segurança e os motoqueiros dispersaram do local.

"Eles ficavam estacionados ali a noite toda. Imagino que alguns não eram entregadores de aplicativo, mas ficavam como se fossem entregadores durante o dia. A polícia esteve aí e tirou eles", conta a professora Ivone Rodrigues de Souza, 69, que mora há 20 anos na área.

Um funcionário de um estabelecimento comercial próximo ao local do assalto afirmou não ter presenciado os crimes, mas relatou um furto sofrido dentro do próprio ambiente de trabalho.

A reportagem notou que, pelo menos no início da noite, a movimentação é menos intensa na rua Mateus Grou, com comércio abaixando as portas e moradores passeando com animais domésticos. O trecho é iluminado, mas a rua fica escura em alguns trechos sob o viaduto e abaixo de árvores que escondem os postes de iluminação.

Rua Mateus Grou, no bairro de Pinheiros, zona oeste da capital - Leonardo Martins/UOL - Leonardo Martins/UOL
Rua Mateus Grou, no bairro de Pinheiros, zona oeste da capital
Imagem: Leonardo Martins/UOL

Em nota, a SSP disse não ter encontrado registros das ocorrências na região e não respondeu se houve aumento de assaltos na região, mas afirmou que as polícias Civil e Militar "têm ampliado e reforçado os programas de policiamento, bem como as ações para coibir os roubos e furtos em toda a capital".

A pasta citou como exemplo duas operações —Capital Mais Segura e Hércules— que prenderam "mais de 185 criminosos, recuperaram 43 celulares roubados ou furtados e apreenderam 37 motos irregulares".

"É de suma importância que as vítimas registrem as ocorrências para que as polícias possam pautar suas ações, como intensificar o policiamento nos locais de maior incidência criminal, assim como investigar os casos e punir os autores", afirmou a SSP. Os registros de boletim de ocorrência podem ser feitos em delegacias ou de forma eletrônica neste link.

Aumento de casos

O crescimento do número de roubos com assaltantes disfarçados de entregadores de aplicativo na cidade de São Paulo levou a Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes) a procurar a SSP no mês de março para tratar do assunto, conforme relatou o UOL Carros. A entidade enviou ofício à secretaria informando que sugeriria às empresas de aplicativos a adoção de dispositivos de segurança, "como grafar o número do entregador em letras bem grandes na parte de trás e nos lados da caixa que porta as embalagens, facilitando a identificação dos mesmos por quem está na rua ou em carros".

O iFood afirma que providências são tomadas imediatamente em casos de confirmação de uso do cadastro de determinado entregador "para prática de atividades ilícitas ou descumprindo o termo de uso da plataforma".

A plataforma diz ainda que adota tecnologia de reconhecimento ótico de caracteres para conferir a veracidade de documentos apresentados no cadastro dos entregadores. A empresa também conta com uma ferramenta de reconhecimento facial, "ativada periodicamente", para coibir o aluguel e o empréstimo da conta.

Segurança pública