PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Após mais de 12 horas, 221 mil clientes amanhecem sem energia no RS

Queda de postes e árvores, assim como rompimento de fios, causou falta de energia em mais de 200 mil casas do RS - Reprodução/Twitter @EPTC_POA
Queda de postes e árvores, assim como rompimento de fios, causou falta de energia em mais de 200 mil casas do RS Imagem: Reprodução/Twitter @EPTC_POA

Pietra Carvalho

Do UOL, em São Paulo

18/05/2022 10h19Atualizada em 18/05/2022 10h19

Pelo menos 221 mil clientes gaúchos continuam sem energia na manhã de hoje, mais de 12 horas após o início dos problemas com a distribuição no estado.

Ao todo, 187 mil clientes são da CEEE Grupo Equatorial e outros 34 mil da RGE, em atualizações das empresas enviadas ao UOL.

Às 20h de ontem 182 mil clientes estavam sem energia na área da CEEE após os impactos causados pela passagem do ciclone Yakecan pelo estado. Mas, segundo a assessoria da empresa, o número chegou a 325 mil até às 22h.

Já na manhã de hoje, 138 mil destes 325 mil tinham voltado a receber os serviços normalmente, deixando 187 mil ainda com problemas. Segundo nota ao UOL, 67 dos 72 municípios atendidos pela companhia são afetados pelas consequências dos ventos que ultrapassaram 100 km/h e pelas fortes chuvas que atingiram a região.

As cidades atendidas pela CEEE com mais problemas na manhã de hoje são Porto Alegre, Pelotas, Viamão, Tramandaí, Guaíba, Rio Grande, Osório, Torres, Alvorada e Santa Vitória do Palmar.

Já a RGE conseguiu reestabelecer o serviço de 10 mil clientes afetados na noite de ontem, com outros 34 mil ainda sem energia elétrica nas regiões de Canoas, Vale dos Sinos, Planalto, Serra e Vale do Rio Pardo, de acordo com nota enviada à reportagem.

A empresa esclareceu "que os fortes ventos que seguem atingindo o estado desde a tarde de ontem causaram danos à rede elétrica, principalmente devido a galhos e objetos arremessados sobre fios e outros equipamentos".

A previsão é de os efeitos do Yakecan sejam sentidos até madrugada de amanhã (19), segundo meteorologistas consultados pelo Grupo Equatorial.

Cotidiano