PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

De nudez a calcinha cheirada: 6 erros em sessões virtuais que viraram hits

Vereador de Bragança Paulista (SP) cheirou calcinha durante sessão virtual - Reprodução/Câmara de Bragança Paulista
Vereador de Bragança Paulista (SP) cheirou calcinha durante sessão virtual Imagem: Reprodução/Câmara de Bragança Paulista

Do UOL, em São Paulo

29/05/2022 04h00

Uma audiência virtual da 21ª Câmara Cível do Rio Grande do Sul precisou ser momentaneamente suspensa nesta semana após uma das partes do julgamento aparecer sentada seminua em um vaso sanitário.

A pessoa não foi identificada pelo TJRS, que negou que a pessoa seminua fosse magistrado, procurador, advogado ou servidor do órgão.

Apesar de inusitado, erros do gênero não são inéditos. Com a pandemia da covid-19 e a instalação do trabalho híbrido em sessões judiciais e até mesmo políticas, outros casos constrangedores já foram registrados no Brasil e no mundo.

O UOL lista alguns deles que viraram quase clássicos recentes de nossos tempos.

6 - A biblioteca falsa

Em fevereiro, um desembargador do Tribunal de Justiça do Amazonas derrubou acidentalmente o cenário de biblioteca que usava durante uma sessão feita por videoconferência. Na ocasião, transmitida pelo próprio tribunal, ao vivo nas redes sociais, é possível ver Yedo Simões arrastando a cadeira para se levantar, derrubando o cenário e o levantando em sequência.

Em resposta, o desembargador explicou que a biblioteca não é um "fundo falso", mas um painel escolhido por ele, com imagens de livros, para "para preservar a intimidade de seus familiares que eventualmente precisem transitar no entorno quando está participando das sessões remotas do Tribunal".

5 - O colo

Em dezembro de 2021, o desembargador João Egmont Leôncio Lopes viveu "em público" um momento íntimo durante sessão remota da 2ª Turma Cível do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios. Por alguns segundos, enquanto a câmera dele estava ligada, a esposa dele sentou em seu colo e a imagem render diversos comentários.

À época, o órgão respondeu à imprensa confirmando que a mulher em questão era esposa do desembargador, não uma servidora pública, e que, por isso, "o fato não gerou prejuízo aos trabalhos da sessão".

4 - A relação sexual

Advogado esqueceu a câmera ligada e fez sexo em audiência no Peru - Reprodução - Reprodução
Advogado esqueceu a câmera ligada e fez sexo em audiência no Peru
Imagem: Reprodução

No meio de uma audiência no Peru, um advogado foi flagrado tendo relações sexuais enquanto estava ao vivo em uma sessão. Héctor Cipriano Paredes Robles estava participando de uma audiência envolvendo uma gangue conhecida como "Los Z de Chanchamayo", quando esqueceu a câmera ligada e deixou o juiz e advogados atordoados com o que viram.

No vídeo, Robles aparece tirando a roupa enquanto ainda estava diante das câmeras antes de beijar uma mulher nua e iniciar a prática sexual. A Ordem dos Advogados do país afirmou que iria 'punir' o advogado. O Superior Tribunal de Justiça local, por sua vez, emitiu uma decisão na qual indicou que o advogado de defesa cometeu "atos obscenos que violam a decência pública e os bons costumes".

3 - Os mamilos

No Paraguai, o deputado Roberto González, do partido ANR, apareceu acidentalmente sem roupa no meio de uma sessão. Após a polêmica ser compartilhada nas redes sociais, ele afirmou que "cometeu um equívoco".

"Eu manchei minha camisa com tereré (um tipo de bebida), por isso a tirei, e foi na hora em que estávamos discutindo um tema. E esqueci que estava sem camisa e que a câmera estava ligada. Logo depois me levantei e peguei a camisa", explicou ao jornal local ABC.

2 - O cochilo

Procurador José Raimundo de Lima dorme durante julgamento virtual do Tribunal de Justiça da Paraíba - Reprodução/Youtube - Reprodução/Youtube
Procurador José Raimundo de Lima dorme durante julgamento virtual do Tribunal de Justiça da Paraíba
Imagem: Reprodução/Youtube

O procurador de Justiça José Raimundo de Lima, do Ministério Público da Paraíba, protagonizou uma cena inusitada ao dormir durante uma sessão virtual do Tribunal de Justiça do estado.

Lima tirou um cochilo enquanto um advogado presente na sessão fazia sua argumentação. Ao retomar a palavra, o desembargador Oswaldo Trigueiro se deu conta da situação e não conseguiu segurar o riso. Fred Coutinho, outro desembargador presente na sessão, também ri de forma contida, assim como um supervisor.

1 - A calcinha

Ditinho do Asilo (PSC), vereador de Bragança Paulista (SP), cidade a cerca de 91 km da capital, foi flagrado cheirando uma calcinha durante uma sessão da Câmara Municipal.

Na sessão, Fabiana Alessandri (PSD) e Quique Brown (PV) discutiam sobre a questão do corte de árvores na cidade quando o vereador abaixou o braço e pegou a peça íntima. Sem perceber que a câmera permanecia ligada, Ditinho esticou a calcinha, a observou e, em seguida, cheirou a peça, antes de virar a câmera para o lado.

Na ocasião, o vereador disse que o que ocorreu foi uma "infelicidade" e que havia recebido, em tom de brincadeira, a calcinha de um amigo por estar usando uma camiseta rosa. O vereador pensou que, ao ter desligado o microfone, teria desativado a câmera junto. Ditinho ainda acrescentou que a peça "era um item desses de sex shop que são comestíveis".

Cotidiano