'Deixou de ser paraíso': imprensa repercurte morte de argentina em Búzios

Jornais da Argentina estão repercutindo a morte de Florencia Aranguren, 31, em Búzios (RJ). Natural de Pilar, região metropolitana de Buenos Aires, Florencia foi encontrada morta na manhã de ontem em uma trilha que conduz à praia de José Gonçalves.

O Clarín estampava na manhã de hoje que "Búzios deixou de ser um paraíso". A frase, segundo reportagem, é de uma moradora, também argentina, que vive há 25 anos na cidade.

"Hoje mudou tudo e as jovens que vêm para Búzios, buscando o paraíso, digo a vocês: Búzios é esteticamente um paraíso, mas tem que tomar cuidado", disse ao jornal.

O La Nación noticiou o assassinato como um caso de "comoção no Brasil" e descreveu Búzios como "uma das cidades mais turísticas do Brasil pela sua variedade de praias".

Já o Infobae classificou o crime como um "horror no Brasil" e disse que a praia onde Florencia foi encontrada morta "é uma das mais bonitas e conservadas da região." O periódico ainda relembrou o assassinato do argentino Daniel Barizone, 65, em Salvador. Ele estava de férias na capital baiana em 2019 quando foi vítima de um latrocínio.

O jornal "El Diario" noticiou o crime como um caso de feminicídio e o Página 12 enfatizou que Florencia havia chegado a Búzios há apenas três dias com a intenção de radicar-se.

Os jornais argentinos também a história de Florencia. O Página 12 descreveu ela como uma "amante dos animais, mochileira, trapezista e ilustradora" e pontuou que, antes de chegar ao Brasil, ela havia morado na Espanha. O La Nación ainda destacou que ela gostava de compartilhar imagens nas redes sociais "com amigos e algumas com o seu cachorro de estimação".

O que aconteceu

Florencia estava acompanhada do cachorro de estimação quando foi morta
Florencia estava acompanhada do cachorro de estimação quando foi morta Imagem: Reprodução/Facebook
Continua após a publicidade

O corpo de Florencia foi encontrado ontem após uma denúncia anônima, segundo a prefeitura da cidade. A jovem argentina foi morta a facadas e pauladas, disse o secretário da Segurança Pública do município, Sergio Ferreira, em entrevista ao perfil Folha de Búzios, no Facebook.

Ela estava fazendo uma trilha em direção à praia de José Gonçalves com o cachorro no momento do crime. O animal, que permaneceu com a tutora, começou a latir, o que atraiu a atenção dos vizinhos, conforme relatado pelo programa Brasil Urgente, da TV Bandeirantes.

A Polícia Militar foi ao local do crime e começou as buscas, resultando na captura de um suspeito. Quando o homem foi levado para perto do cachorro, o animal reagiu, tentando atacá-lo.

A perícia foi acionada e o suspeito foi preso. Ele tem duas passagens pela polícia por furto e lesão corporal, segundo a Prefeitura de Búzios. A identidade dele não foi divulgada.

A Polícia Civil informou que a 127ª DP (Armação de Búzios) iniciou as investigações assim que foi comunicada do caso. Testemunhas foram ouvidas e câmeras de segurança foram solicitadas, diz a PC: "Um homem foi contido por populares e conduzido à delegacia, onde, após intenso trabalho de campo e realização de exames periciais, foi possível confirmar a autoria. Ele foi autuado em flagrante por homicídio".

A família da vítima está a caminho do Brasil.

Continua após a publicidade

A Prefeitura de Búzios diz estar "colaborando integralmente com as autoridades para obter mais informações sobre este trágico crime", e afirma que a Polícia Civil conduz as investigações para esclarecer os fatos.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes

As mais lidas agora