Suspeito de matar humorista que fez piada sobre traição é preso em MG

A Polícia Militar de Minas Gerais prendeu hoje (12) o homem suspeito de matar o comerciante e humorista Tiago Brito, no mês de agosto, em Ipatinga (MG). A polícia investiga se o homem foi morto após publicar um vídeo comentando sobre um caso de traição envolvendo um morador da cidade.

O que aconteceu

Comerciante suspeito, de 42 anos, estava foragido há seis meses. Ele foi detido pela Polícia Militar na própria casa, no bairro Bom Jardim, na mesma localidade onde ocorreu o crime. Ele não reagiu à prisão, segundo o Tenente Pedro Veiga, em entrevista a jornalistas.

Homem estava com mandado de prisão em aberto pelo crime. O documento foi emitido pelo TJMG (Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais) logo após o crime. Em agosto de 2023, o suspeito chegou a prestar depoimento, mas foi liberado, segundo apurou a Rádio Itatiaia. Ele não ficou preso porque não tinha mais flagrante do crime e não havia mandado de prisão contra ele.

Suspeito afirmou à PM que estava foragido em Vitória, no Espírito Santo. O homem, que não teve a identidade revelada, ainda contou que decidiu aproveitar o feriado de Carnaval para retornar ao bairro onde vivia para trabalhar na sua lanchonete, que seguia funcionando mesmo após o crime.

"Ele disse que a vítima tinha cometido difamação contra ele", declarou o tenente. Além disso, o suspeito alegou aos policiais militares que Tiago tinha postado o conteúdo em redes sociais, que a esposa dele teria tomado conhecimento do vídeo, e foi ao local armado para tirar satisfação com o humorista. Na versão do preso, a vítima "partiu para cima dele", razão pela qual alega ter efetuado vários disparos.

"Acabei com a minha vida", disse preso à PM. De acordo com o tenente, o homem relatou que tem três filhos e que se "não tivesse feito isso (cometido o crime)" não teria problemas com a Justiça.

Suspeito foi encaminhado à Polícia Civil e será levado a um presídio. A reportagem tenta contato com a Polícia Civil. Como o nome dele não foi divulgado, a defesa não foi encontrada para pedido de posicionamento. O espaço segue aberto para manifestação.

Relembre o caso:

Imagens das câmeras de segurança instalada na farmácia da vítima registraram toda a cena. Testemunhas indicaram que o suspeito chegou em um carro e entrou no estabelecimento, caminhando em direção à vítima. Os dois parecem discutir e, na sequência, o homem dispara diversas vezes.

Continua após a publicidade

A vítima, caída no chão, chega a se agarrar na perna do suspeito. O homem se desvencilha, sai da loja, entra no carro e foge em seguida.

Desde o início da investigação, a Polícia Civil apura se o crime foi motivado por um vídeo divulgado pelo humorista em suas redes sociais. No vídeo, ele comentava sobre um caso de traição envolvendo um morador da cidade. Apesar de comerciante, Brito também mantinha um perfil no Instagram, onde postava esquetes de humor para os cerca de 18 mil seguidores.

Na época do crime, a Polícia Civil informou apenas que apreendeu as armas e munições em propriedade do suposto assassino do humorista. A pistola calibre 38 que teria sido usada no crime também foi apreendida com os outros armamentos. As armas estavam registradas na condição de CAC (Colecionador, Atirador Desportivo e Caçador).

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes