Conteúdo publicado há 2 meses

Domingos Brazão não conhecia Marielle, certeza que é inocente, diz advogado

A defesa de Domingos Brazão, preso na manhã de hoje por suspeita de ser mandante do assassinato de Marielle Franco, afirmou que o conselheiro não conhecia a vereadora.

O que aconteceu

Domingos ainda não conversou com advogado. Segundo Ubiratan Guedes, ele não conversou com Domingos após a prisão, mas teve contato com ele nas últimas semanas por causa de "boatos que estavam correndo" sobre o caso. Ele falou com jornalistas do lado de fora da sede da Polícia Federal, na manhã de hoje.

Não sabemos da imputação que foi feita. Tenho certeza que ele é inocente. Não procede a imputação. Ele não tem ligação com a Marielle, não conhecia.
Ubiratan Guedes, advogado de Domingos Brazão

Preso por suspeita de ser mandante

Domingos e Chiquinho Brazão foram presos na manhã de hoje por suspeita de serem mandantes do assassinato da vereadora Marielle Franco.

O ex-chefe da Polícia Civil do Rio de Janeiro, Rivaldo Barbosa, também foi preso por suspeita de envolvimento com o crime.

Os nomes dos três foram citados na delação premiada de Ronnie Lessa. O ex-PM, preso por ser executor de Marielle, afirmou que Rivaldo chegou a "garantir" aos outros suspeitos que a autoria do crime não seria descoberta.

Os três foram encaminhados para a sede da Polícia Federal e serão levados a Brasília ainda hoje. A expectativa é de que eles sejam levados para três presídios federais diferentes.

Domingos nega envolvimento

Em entrevista ao UOL, concedida em janeiro, Domingos Brazão disse que não conhecia Marielle Franco nem Anderson Gomes e negou qualquer envolvimento no caso.

Continua após a publicidade

Não conhecia e não me lembro da vereadora Marielle Franco, nem como assessora do [Marcelo] Freixo. Não me lembro da presença dela no plenário. Infelizmente, ouvi falar muito dela quando aconteceu essa trágica ocorrência com ela e com o Anderson. Eu não tinha relação pessoal com eles. Domingos Brazão conselheiro do TCE-RJ (Tribunal de Contas do Estado do Rio)

Brazão reiterou que também não conhecia os ex-PMs Élcio Queiroz e Ronnie Lessa, acusados de terem matado Marielle e Anderson.

Nota da defesa de Domingos Brazão

Domingos Brazão, que desde o primeiro momento sempre se colocou formalmente à disposição das autoridades para prestar todos os esclarecimentos que entendessem necessários, foi surpreendido neste domingo (24) pela determinação do Supremo Tribunal Federal. Em tal contexto, reforça a inexistência de qualquer motivação que possa lhe vincular ao caso e nega qualquer envolvimento com os personagens citados, ressaltando que delações não devem ser tratadas como verdade absoluta — especialmente quando se trata da palavra de criminosos que fizeram dos assassinatos seu meio de vida — e aguarda que os fatos sejam concretamente esclarecidos.

Deixe seu comentário

Só para assinantes