Conteúdo publicado há 1 mês

Guaíba recua com comportas abertas e comerciantes calculam prejuízo

O Guaíba recuou 20 cm em 24 horas neste domingo (19) em Porto Alegre. Três comportas estão abertas para ajudar no escoamento da água, além de uma bomba flutuante da Sabesp que foi instalada nesta tarde, no bairro Sarandi. Na rua dos Andradas, os comerciantes já conseguem caminhar pela região do centro histórico e começam a calcular os prejuízos.

'Prejuízo de R$ 50 a R$ 70 mil'

Eduardo Novo, 50, é dono de uma banca de jornal em frente à praça da Alfândega e calcula um prejuízo de R$ 50 a R$ 70 mil.

A água chegou a 1 metro de altura. Perdemos 80% do que tinha dentro da banca, todo o estoque e alguns utensílios de café, porque também servíamos aqui. Eduardo Novo

O comerciante, agora, só pensa em recuperar e reconstruir o local, que foi herdado do pai. "O pensamento é tentar limpar e trabalhar porque a gente depende dessa banca, o trabalho é o nosso sustento", contou ao UOL.

'Não podemos desistir'

Altemir Modesti, 55, proprietário de um restaurante no centro está pelo segundo dia fazendo a limpeza do local.

"O cheiro está horrível, a rua imunda. Espero que a prefeitura limpe logo porque se sair um sol, ninguém vai conseguir passar por aqui. O fedor é muito grande."

Tem que ter a cabeça boa, senão acaba desistindo. Mas isso é tudo o que a gente tem. Temos que seguir a vida e correr atrás. Altemir Modesti

Comerciante Altair Modesti limpa restaurante no centro de Porto Alegre
Comerciante Altair Modesti limpa restaurante no centro de Porto Alegre Imagem: Herculano Barreto Filho/UOL
Continua após a publicidade

'Prejuízo incalculável'

O empresário Maicon Daltoé, 37, é proprietário de três estabelecimentos no centro — entre eles, uma padaria que abriu há 12 anos.

O sentimento é o de não saber onde se apegar, mas não podemos abaixar a cabeça. Temos de ir à luta de novo. É trabalhar e ir atrás do prejuízo. Maicon Daltoé

Maicon ainda não sabe qual foi o prejuízo total, mas a padaria, por exemplo, foi totalmente afetada.

Comerciantes limpam estabelecimentos no centro de Porto Alegre
Comerciantes limpam estabelecimentos no centro de Porto Alegre Imagem: Herculano Barreto Filho/UOL

"Por enquanto, o prejuízo é incalculável, ainda precisamos ver o que funciona ou não. Mas, na padaria, a gente basicamente trabalha com uma vitrine, e perdemos tudo. É bem angustiante", afirma.

Continua após a publicidade

O empresário espera voltar a trabalhar em breve, em até 15 dias, depois que a luz retornar à região.

Esse retorno vai ser bem triste. Temos de batalhar, não podemos desistir. Maicon Daltoé

Números da tragédia

O estado registrou 157 mortos, 89 desaparecidos, 806 feridos e 463 municípios afetados pelas chuvas. A informação é de boletim da Defesa Civil. No totlal, mais de 2,3 milhões de pessoas foram atingidas. Dessas, 540 mil estão desalojadas e 76,9 mil estão alocadas em abrigos.

Voluntários transportam colchões doados em embarcação no Guaíba, em Porto Alegre
Voluntários transportam colchões doados em embarcação no Guaíba, em Porto Alegre Imagem: Anselmo Cunha / AFP

Mais de um terço dos alunos das escolas estaduais ainda estão sem aulas. Segundo o Governo do Rio Grande do Sul, 261.858 estudantes ainda não retornaram à escola — o equivalente a 36% do número total de alunos da rede. Desses, 194 mil ainda não têm previsão de voltar às aulas.

Continua após a publicidade

Há 83 trechos de estradas bloqueados parcial ou totalmente. Os problemas atingem 49 estradas, pontes e balsas, segundo o Departamento de Estradas e Rodagem.

Deixe seu comentário

Só para assinantes