Conteúdo publicado há 24 dias

Lona, fogão a lenha e carro como abrigo: a vida de desabrigados no RS

Após a nova inundação com o avanço do rio em São Sebastião do Caí (RS), a situação dos desabrigados se agravou. Agora, há ao menos 400 pessoas desabrigadas. A maioria delas está em lonas em um galpão da prefeitura.

O aposentado Naelton Saraiva, 75, era um dos novos moradores do abrigo após a inundação de domingo (16). "Na minha casa, chove como na rua. O telhado está todo quebrado". Há um mês fora de casa, a diarista Carine Horn, 37, contou como está a rotina no local. "Tá complicado. Tem muita gente e pouco espaço", relatou.

Carine Horn, 37, desabrigada após chuvas no Rio Grande do Sul
Carine Horn, 37, desabrigada após chuvas no Rio Grande do Sul Imagem: Herculano Barreto Filho

Um outro grupo improvisou o próprio abrigo ao montar uma lona em torno do carro em frente a um imóvel abandonado pelo poder público. Também havia ali um fogão a lenha, uma mesa e cadeiras.

Um casal tem usado o carro para dormir. "A lona, nós montamos no domingo, por causa dessa outra enchente. Estamos lutando para sobreviver", disse o mecânico Carlos André Cunha Lima, 55, que decidiu ficar ali para impedir saques no imóvel atingido pela inundação. "Se eu sair daqui, as pessoas vão levar o pouco que sobrou da minha casa", destacou.

O autônomo Carlos Eduardo Bays, 43, montou o seu abrigo a apenas 30 metros dali. Embaixo da lona, havia um colchão, um cobertor e um travesseiro.

O músico Hermínio da Silva Flores Neto, 37, que mora em Garopaba (SC), veio de ônibus para São Sebastião do Caí para ajudar a mãe, que também teve a casa inundada. "Não tenho para onde ir. Então, vou ficar por aqui mesmo", afirmou.

O vigilante João Carlos da Veiga, 41, tentava resumir o que sentia ao precisar sair mais uma vez de casa após outro alagamento: "Perdemos o pouco que a gente tinha".

Grupo improvisou o próprio abrigo ao montar uma lona em torno do carro no RS
Grupo improvisou o próprio abrigo ao montar uma lona em torno do carro no RS Imagem: Herculano Barreto Filho
Continua após a publicidade

Danos pela chuva e inundações

As aulas da rede municipal foram canceladas. A ERS-124, no trecho entre São Sebastião do Caí e Pareci Novo, foi bloqueada pelas águas.

O município ainda tinha 150 desabrigados por causa das chuvas de maio. Essas pessoas, que perderam as casas há mais de um mês, estão alocadas em abrigos municipais, informou a prefeitura.

Pelo menos 19 municípios reportaram danos relacionados às chuvas à Defesa Civil. Em São Luiz Gonzaga, 400 pessoas ficaram desalojadas e uma ficou ferida devido a inundações e deslizamentos.

Bloqueio de estradas deixou duas mil pessoas ilhadas. A ocorrência foi no distrito de Barra do Ouro, em Maquiné, onde as ERS-484 e ERS-239 foram bloqueadas, informou a Defesa Civil do estado.

Regiões da Serra e do Litoral Norte também registraram deslizamentos, sem feridos. Entre as cidades afetadas, estão: Arvorezinha, Bento Gonçalves, Boqueirão do Leão, Canela, Capão da Canoa, Caxias do Sul, Coqueiro Baixo, Dom Pedro de Alcântara, Igrejinha, Mampituba, Maquiné, Pareci Novo, Parobé, Roca Sales, São Luiz Gonzaga, Rio Pardo, São Vendelino, Três Coroas e Vale Real.

Continua após a publicidade

Previsão é de mais chuva. A região norte do estado deve ter chuvas fortes, com até 300 milímetros acumulados, entre esta segunda e a quinta-feira (20).

Deixe seu comentário

Só para assinantes