Conteúdo publicado há 1 mês

Justiça mantém pedido de prisão temporária contra homem que atirou em carro

A Justiça de São Paulo negou o pedido da defesa do empresário Adriano Domingues da Costa para anular o decreto de prisão temporária contra ele. Ele foi flagrado atirando contra um carro durante uma briga de trânsito em Boituva (SP) e é considerado foragido.

O que aconteceu

Defesa de Costa prometeu que empresário vai se apresentar hoje às autoridades. A polícia quer ouvir o empresário e a mulher dele, que também aparece na gravação.

Habeas corpus poderia impedir prisão. A polícia soube que advogados de Costa entraram na Justiça para anular prisão temporária e impedir que ele fosse preso quando se apresentasse na delegacia.

"Independentemente se ele se entregar ou não, as buscas continuam para que ele seja capturado. Estamos falando de uma pessoa que não possuía nem o porte de arma, muito menos o registro da arma", afirmou o delegado Alexandre Silva Cassola. O carro e a arma usados no dia do crime já foram encontrados e submetidos à perícia.

Advogado de Costa nega que o cliente tenha cometido uma tentativa de homicídio, como foi registrado pela polícia. "O vidro era blindado e quem é da área sabe que estamos diante de um crime impossível para a finalidade homicida", afirmou Luiz Carlos Tucho de Souza e Castro ao UOL no domingo (16).

Briga começou após colisão

De acordo com a SSP (Secretaria da Segurança Pública) de São Paulo, um casal estava em um veículo quando sofreu uma ultrapassagem de outro carro, momento em que houve uma colisão. O caso ocorreu na altura do quilômetro 110 da Rodovia Castello Branco.

Nas imagens, é possível ver o casal, identificado como Gabrielle Gimenez e William Isidoro, discutindo com o autor dos disparos. No vídeo, o empresário Adriano Domingues da Costa, que dirigia uma caminhonete, grita com o casal sobre o acidente, segurando uma arma, e retorna ao carro. Uma mulher que acompanhava Adriano é questionada se ela era policial e se o empresário estava com a arma dela, e confirma — no entanto, não há nenhuma comprovação de que ela realmente seja uma agente.

Após a discussão inicial, o homem se reaproxima do carro do casal. Ele pede para os ocupantes do veículo abaixarem o vidro da janela e, após negativa do casal, começa a disparar. Ainda segundo a SSP, o para-brisa do carro — que é blindado — e o farol dianteiro foram atingidos pelos tiros.

Continua após a publicidade

No momento dos disparos, a vítima estava em contato com a Polícia Militar. É possível ouvir, pela chamada telefônica, que o agente da PM pede que o casal não abaixe o vidro.

O caso foi registrado como tentativa de homicídio. O boletim de ocorrência foi feito na delegacia de Boituva e as investigações estão a cargo da Polícia Civil na Delegacia de Investigações Gerais de Itapetininga.

Siga UOL Notícias no

Deixe seu comentário

Só para assinantes