Conteúdo publicado há 25 dias

Defesa de influencer diz que jovem que morreu 'não precisava' fazer peeling

A advogada da influenciadora Natalia Fabiana de Freitas, indiciada por homicídio com dolo eventual depois que um jovem morreu após fazer peeling de fenol com ela na zona sul da capital paulista, disse que a vítima "não precisava" realizar o procedimento estético.

O que aconteceu

"Era um menino lindo, né. Não precisava [fazer o procedimento do peeling de fenol]. Jovem...", afirmou Tatiane Forte, defensora da influencer. A declaração foi realizada em entrevista com Cláudio Bezerra, outro defensor de Natalia, à TV Barueri nesta terça-feira (18). O jovem fez o procedimento para remover cicatrizes de acne da adolescência e que o incomodavam, segundo o jornal Folha de S.Paulo.

Advogada de influencer diz que teve acesso às imagens das câmeras de segurança da clínica, e o jovem estava "feliz" por fazer o peeling. Ela relembrou que Marcelo Camargo, namorado do jovem Henrique da Silva Chagas, 27, disse à Folha de S.Paulo que ele pesquisou muito antes de realizar o procedimento, que já gostaria de realizar há algum tempo.

Defensores informaram que pedirão a desinterdição da clínica de Natalia. De acordo com Forte, a defesa teve acesso ao processo de interdição e "não tinha nada grave". Eles declararam que foram apontadas necessidades de documentação sobre a manutenção de ar-condicionado, limpeza e alguém como responsável técnico do estabelecimento.

"Não foi interditada por alguma coisa grave, não", afirmou. "A gente está falando com a vigilância para entender o que aconteceu [exatamente]", acrescentou a advogada. Como o UOL mostrou, a clínica foi fechada e autuada por "exercer procedimentos em desacordo com a legislação vigente".

"Eu sei que o caso é bem delicado, mas a gente tem que pensar também na vida de quem fica", afirmou Forte. Na entrevista, a defensora declarou que a cliente, cujo nome real é Natalia Fabiana de Freitas, está "muito abalada", chora muito e quer "parar de fazer" todas as suas atividades diárias. Em entrevista à imprensa em 5 de junho, a influencer chegou a dizer que o caso "acabou com a vida" dela.

Meu papel agora é de fazer com que ela volte aos poucos à vida normal, da gente conseguir devolver uma fonte de renda para ela. (...) É um propósito meu de vê-la bem de novo, trabalhando de novo, com os devidos cuidados que nós estamos ajudando a estruturar. Como eu disse, o nosso trabalho não é só ir lá defender a Natalia das acusações. O nosso trabalho é completo, estratégico para voltar a empresa, o que está errado, o que a gente consegue arrumar, o que você pode e não pode fazer.
Tatiane Forte, advogada de Natalia

A advogada chegou a comentar que conhecia o companheiro de Natalia antes da morte do jovem e que já chegou a realizar um procedimento com a influenciadora. "Eu tive melasma e fiz um tratamento com ela. Foi excelente. Já tinha feito com outras pessoas, médico, e não tive um bom resultado como tive com ela. Minha mãe também fez o tratamento com ela. Muito cordial, ama o que faz, apaixonada por transformar vidas também", alegou.

"Pessoas querem arrumar um culpado a todo custo", analisam defensores, que dizem acreditar que Natalia não será presa. Eles disseram que aguardam os laudos periciais solicitados no inquérito policial para saber a causa da morte de Henrique. "É que não depende da gente [determinar se ela será presa]. Porque se depender da gente, vamos fazer o possível para que não", concluiu.

Continua após a publicidade

Morte de jovem após peeling de fenol

Henrique Silva Chagas, de 27 anos, morreu durante um procedimento estético realizado em uma clínica em São Paulo
Henrique Silva Chagas, de 27 anos, morreu durante um procedimento estético realizado em uma clínica em São Paulo Imagem: Reprodução/Redes sociais

O empresário de 27 anos morreu enquanto passava por um procedimento estético realizado no dia 3 de junho. Henrique Silva Chagas teve parada cardiorrespiratória durante o procedimento que foi realizado por Natalia Fabiana de Freitas Antônio, conhecida nas redes sociais como Natalia Becker. A clínica fica localizada na rua Doutor Jesuíno Maciel, no Campo Belo, na zona sul de São Paulo.

Natalia disse que aprendeu o procedimento em um curso online. As aulas seriam ministradas pela farmacêutica Daniele Stuart, do Paraná. Agora, Daniele é investigada pela polícia paranaense por exercício ilegal da medicina. Em nota publicada no dia 13 de junho, o CFF (Conselho Federal de Farmácia) e o CRF-PR (Conselho Regional de Farmácia do Paraná) saíram em defesa da farmacêutica.

No Instagram, a conta da influencer tinha mais de 233 mil seguidores. A mulher informava que é "criadora" de um protocolo de tratamento estético e "premiada especialista em melasma". Ela tem uma unidade da clínica em São Paulo e outra no Rio de Janeiro. Conta de Natalia no Instagram ficou indisponível após o caso.

A causa da morte de Henrique Chagas ainda é investigada pela polícia, que aguarda exames toxicológico e anatomopatológico para saber se o uso do fenol provocou, de fato, o óbito do empresário. Em 5 de junho, Natalia Becker foi indiciada por homicídio com dolo eventual, quando não há intenção, mas se assume o risco de matar. Não há mandado de prisão contra ela.

Continua após a publicidade

A defesa de Natalia diz que aguarda o laudo dos exames que determinarão a causa da morte do empresário.

Deixe seu comentário

Só para assinantes