PUBLICIDADE
Topo

PSOL oficializa Renata Souza como candidata à Prefeitura do Rio de Janeiro

"Minha candidatura é ainda mais do que necessária agora, para devolver à população uma vida digna", afirma a candidata - Divulgação
"Minha candidatura é ainda mais do que necessária agora, para devolver à população uma vida digna", afirma a candidata Imagem: Divulgação

Do UOL, em São Paulo

03/09/2020 21h45

O PSOL oficializou hoje a candidatura da deputada estadual Renata Souza à Prefeitura do Rio de Janeiro, com Coronel Ibis Pereira, ex-comandante da Polícia Militar, como vice.

"Minha candidatura é ainda mais do que necessária agora, para devolver à população uma vida digna. Projetos do meu programa, como a Renda Básica Carioca, ônibus gratuito e a cobrança das dívidas dos bancos e outros grandes devedores da prefeitura — que devem quase 15 bilhões — vão fazer a cidade funcionar, principalmente para quem mais precisa", disse a candidata em nota emitida após a decisão.

O apoio foi decidido durante a convenção virtual do partido, realizada virtualmente enquanto a Câmara dos Vereadores decidia rejeitar, por 25 votos a 23, a abertura do processo de impeachment do prefeito Marcelo Crivella (Republicanos).

O pedido foi protocolado por Renata Souza, que critica o resultado:

"Esses 25 vereadores são cúmplices do esquema do Crivella, não só para esconder a precariedade na saúde, mas para calar críticas da população e o trabalho da imprensa, ao estilo do seu aliado Bolsonaro."

Antes de escolher o Coronel Ibis Pereira, o PSOL tentou formar uma aliança inédita com outro partido progressista. A sigla fracassou nas tentativas de aiança com o PCdoB nos últimos dias e descartou uma chapa com o PT.

Pereira é coronel reformado da PM-RJ (Polícia Militar do Rio) filiado ao PSOL há dois anos. Conhecido como um policial defensor dos direitos humanos e da luta antirracista, Ibis chegou a comandar a corporação entre novembro de 2014 e janeiro de 2015.

Renata, que já atuou como chefe de gabinete da vereadora Marielle Franco, morta a tiros na noite de 14 de março de 2018, hoje preside a Comissão de Direitos Humanos da Alerj (Assembleia Legislativa do Rio). As duas foram criadas no Complexo da Maré, conjunto de favelas na zona norte do Rio. Mônica Benício, viúva de Marielle e candidata a vereadora pelo PSOL, também participará da convenção virtual.