PUBLICIDADE
Topo

Eleições 2020

Após apoio a Bruno Covas, Marta rompe com Solidariedade e oficializa saída

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), e a ex-prefeita Marta Suplicy - Divulgação/Campanha Bruno Covas
O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), e a ex-prefeita Marta Suplicy Imagem: Divulgação/Campanha Bruno Covas

Igor Mello

Do UOL, no Rio

13/09/2020 18h58

Após romper publicamente com o partido por conta da eleição para a prefeitura de São Paulo, a ex-prefeita e ex-ministra Marta Suplicy oficializou neste domingo (13) sua desfiliação do Solidariedade pouco mais de cinco meses depois de seu ingresso.

Nos últimos meses, Marta se aproximou do prefeito Bruno Covas (PSDB) e decidiu desistir de sua pré-candidatura para auxiliar na reeleição do tucano. O rompimento ocorreu depois de o partido oficializar o apoio ao ex-governador Márcio França (PSB).

O comunicado de Marta foi endereçado ao deputado federal Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força, presidente nacional e fundador da legenda, e a Pedro Nepomuceno, presidente municipal do Solidariedade.

Marta tinha o desejo de ser vice na chapa de Bruno Covas, mas não houve acordo com o Solidariedade. Na semana passada, Nepomuceno afrmou ao UOL que houve "esgotamento" na conversa com a ex-prefeita.

Após a ex-prefeita manter o apoio a Covas, o Solidariedade chegou a anunciar que poderia expulsá-la da legenda.

Com a decisão, Marta deixa o terceiro partido de sua carreira política. Ela integrou o Partido dos Trabalhadores entre 1981 e 2015. Pelo PT, ela foi prefeita de são Paulo entre 2001 e 2004, deputada federal, senadora e ministra do Turismo e da Cultura.

Logo depois, Marta Suplicy se filiou ao MDB, no qual permaneceu até 2018. Após um período sem legenda, ela ingressou no Solidariedade em abril deste ano com a intenção de se candidatar novamente à prefeitura.

Eleições 2020