PUBLICIDADE
Topo

Eleições 2020

Barroso diz que comissão estuda 'voto do futuro': 'Urnas custam caro'

O presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso, ainda afirmou preocupação com notícias falsas - Nelson Jr./SCO/STF
O presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso, ainda afirmou preocupação com notícias falsas Imagem: Nelson Jr./SCO/STF

Colaboração para o UOL, em São Paulo

15/09/2020 19h12

Luís Roberto Barroso, presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), afirmou hoje em entrevista à CNN que comissão já estuda a superação das urnas eletrônicas. Apesar de acreditar que os equipamentos são confiáveis, o ministro defendeu que mudanças podem acontecer no futuro, diminuindo os custos das eleições.

"Já temos uma comissão estudando o voto do futuro, porque as urnas eletrônicas, embora eficientes, custam muito caro."

"Nós temos uma comissão estudando como as pessoas poderão votar do seu próprio dispositivo, possivelmente, pelo menos num primeiro momento, comparecendo ao local de votação pela preocupação com o sigilo do voto", afirmou ele, explicando que não há previsão para implementação de possíveis projetos.

Eleições 2020

Durante a entrevista, o presidente do TSE ainda demonstrou preocupação com as notícias falsas e afirmou que o órgão pretende combatê-las.

"O que nos preocupa é essas campanhas de milícias criminosas que seguem um comando verticalizado que são financiadas e são mercenários a serviço do descrédito da democracia. É isso que estamos enfrentando quando estamos falando de combate às fake news", defendeu.

"Candidato ofender o outro já temos mecanismos que funcionam razoavelmente bem, como a tirada do programa [eleitoral] do ar e direito de resposta. O que nos preocupa é o uso de mecanismos tecnológicos por essas milícias digitais do mal", explicou Barroso.

O ministro ainda afirmou que está procurando "convocar as pessoas a jogarem limpo" nas eleições.

Eleições 2020