PUBLICIDADE
Topo

Em debate, ex-integrantes tentam se desligar da atual gestão em Campinas

André Von Zuben, o mediador Valter Sena, e Dario Saadi durante o debate em Campinas - Band Mais
André Von Zuben, o mediador Valter Sena, e Dario Saadi durante o debate em Campinas Imagem: Band Mais

Thiago Varella

Colaboração para o UOL, de São Paulo

02/10/2020 00h56

No primeiro debate entre os candidatos a prefeito de Campinas (SP), realizado na Band Mais, a gestão atual, de Jonas Donizette (PSB) foi o principal alvo das críticas dos participantes. Donizette está em seu segundo mandato e não pode ser reeleito,

Até mesmo o candidato apoiado pelo prefeito, Dário Saadi (Republicanos), ex-secretário de esportes da atual gestão, afirmou ter "divergências" com Donizette, ao responder a uma pergunta de Pedro Tourinho (PT).

"Eu quero garantir o que está dando certo e mudar o que for preciso", afirmou mais de uma vez durante o debate, sem se apresentar como o candidato do atual prefeito.

O deputado estadual Rafa Zimbaldi (PL), que chegou a ser líder do governo na atual gestão, disse que decidiu deixar de apoiar o prefeito Jonas Donizette quando percebeu mudanças no rumo de Campinas e criticou, entre outros temas, o déficit de 6.500 vagas nas creches da cidade.

"Eu ajudei o prefeito naquilo que eu podia, e quando ele se afastou da cidade eu tomei a decisão de seguir o caminho contrário", disse.

A Delegada Teresinha (PTB), que foi assessora na secretaria de segurança pública na gestão Jonas Donizette, criticou a atuação do município durante a pandemia de covid-19. A cidade tinha 33.348 casos da doença e 1.242 mortes causadas pelo novo coronavírus até quinta-feira.

André Von Zuben (Cidadania), que foi secretário de Desenvolvimento Econômico, Social e de Turismo até junho, criticou a tarifa de ônibus, de R$ 4,95, e afirmou que os coletivos da cidade estão lotados durante a pandemia.

No tiroteio de críticas e acusações, também tiveram o candidato Dr. Hélio (PDT) como alvo, já que o político foi alvo de impeachment quando foi prefeito de Campinas por um suposto esquema de fraude em licitações da Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento (Sanasa).

Zimbaldi e Artur Orsi (PSD), que eram vereadores na época da cassação de Hélio, reivindicaram a responsabilidade pelo impeachment.

No total, nove candidatos participaram do debate: Alessandra Ribeiro (PCdoB), André Von Zuben (Cidadania), Artur Orsi (PSD), Dário Saadi (Republicanos), Delegada Teresinha (PTB), Dr. Hélio (PDT), Rafa Zimbaldi (PL), Pedro Tourinho (PT) e Wilson Matos (Patriota).

Outros quatro candidatos ficaram de fora do debate. Ahmed Tarique (PMN), Laura Leal de Castro (PSTU), Rogério Menezes (PV) e Rogério Parada (PRTB) não participaram porque estão em partidos que não têm representatividade de cinco parlamentares no Congresso Nacional.