PUBLICIDADE
Topo

Estagnado nas pesquisas, Crivella consegue vídeo de apoio de Bolsonaro

Gabriel Sabóia e Igor Mello

Do UOL, no Rio

30/10/2020 10h18Atualizada em 30/10/2020 18h14

A pouco mais de duas semanas do primeiro turno das eleições e com a candidatura estagnada nas pesquisas de intenções de votos, Marcelo Crivella (Republicanos) foi a Brasília na manhã de hoje e gravou um vídeo de apoio com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). O vídeo marca a entrada oficial de Bolsonaro na campanha de Crivella e era um sonho antigo do prefeito da capital fluminense. Carlos e Flávio Bolsonaro, filhos do presidente, também são do partido de Crivella.

Na noite de ontem (29), Bolsonaro já havia falado abertamente sobre a corrida à Prefeitura do Rio em uma live. O resultado, no entanto, foi considerado "catastrófico" por pessoas próximas a Crivella. Bolsonaro elogiou Eduardo Paes (DEM) —a quem definiu como "bom administrador", mote da campanha do ex-prefeito— e, apesar de dizer que estava ao lado de Crivella, afirmou que os eleitores que não quiserem votar no atual prefeito estão "perdoados".

Eu tô aqui com um nome que dá polêmica. O Rio de Janeiro sempre é polêmico. Eu fico aqui com o Crivella e não tem muita polêmica não, quem não quiser votar nele fique tranquilo, tá certo? Não vamos criar polêmica, não vamos brigar entre nós por causa disso. Eu respeito os seus candidatos também

Jair Bolsonaro em live na noite de ontem

De "positivo" para a campanha de Crivella, apenas o momento em que o presidente se referiu —sem citar nomes— à campanha de Martha Rocha (PDT), que ameaça tirar o atual prefeito do segundo turno.

"Tem mais dois nomes lá concorrendo, uma lá que é de um partido X. O tal do Ciro Gomes [PDT] falou que se ela ganhar vai ser o chefe da Casa Civil dele, dela. Terrível, né?". A campanha de Martha nega que Ciro vá ocupar uma secretaria em uma eventual vitória nas urnas.

Logo em seguida, Bolsonaro se referiu a Eduardo Paes. "O outro vocês conhecem também, eu não quero tecer críticas, é um bom administrador, né?", refletiu.

Marcelo Crivella (Republicanos) foi à Brasília por apoio de Jair Bolsonaro (sem partido) - Divulgação/Assessoria - Divulgação/Assessoria
Marcelo Crivella (Republicanos) foi à Brasília por apoio de Jair Bolsonaro (sem partido)
Imagem: Divulgação/Assessoria

Apesar de ter entrado oficialmente na campanha de Crivella, Bolsonaro tem evitado criticar Paes, com quem mantém boa relação e conta com o apoio do chamado Centrão, que constitui hoje a base de apoio do presidente na Câmara.

Crivella reforçou na TV vínculo com Bolsonaro

Estagnado nas pesquisas, Crivella tem reforçado ainda mais o elo com o bolsonarismo no horário de TV.

Segundo a última pesquisa Datafolha, divulgada na sexta passada (23), Paes mantém a liderança (28%), enquanto a disputa pelo segundo lugar dá sinais de maior acirramento, com três candidatos empatados na margem de erro —Crivella (13%), Martha Rocha (13%) e Benedita da Silva (PT) (10%). Em relação ao levantamento anterior, a pedetista avançou três pontos percentuais, enquanto o ex-prefeito oscilou negativamente um ponto.

No último dia 9, quando os programas passaram a ser exibidos, Bolsonaro aparecia discretamente ao lado de Crivella em uma única imagem, na qual os dois estão com a vice-candidata Andrea Firmo (Republicanos).

Nos programas exibidos desde a semana passada, no entanto, é possível ver uma mudança de estratégia. Passaram a ser veiculadas diariamente ao menos cinco imagens de eventos nos quais os dois se cumprimentaram ou estiveram lado a lado.

Enquanto as imagens dos dois aparecem na tela, a campanha usa o slogan "essa parceria é nota 10", em referência ao número de urna do candidato.