PUBLICIDADE
Topo

'Não sou tucano que larga a Prefeitura', diz Boulos sobre concluir mandato

Do UOL, em São Paulo*

17/11/2020 13h54

Adversário do atual prefeito Bruno Covas (PSDB) no segundo turno à Prefeitura de São Paulo, o candidato Guilherme Boulos (PSOL) disse hoje que não deixaria o mandato municipal "de jeito nenhum" para se candidatar nas próximas eleições presidenciais, em 2022. Boulos ainda lembrou o histórico recente de políticos tucanos que renunciaram aos seus mandatos em São Paulo para se candidatarem a outro cargo executivo.

"Não, de jeito nenhum, eu não sou tucano que abandona a Prefeitura [de São Paulo]", disse Boulos em participação no UOL Entrevista, comandado pelos colunistas do UOL Diogo Schelp e Leonardo Sakamoto.

Em 2018, o atual governador João Doria (PSDB) era prefeito de São Paulo quando renunciou ao cargo para se candidatar à administração estadual, promovendo seu vice Covas na Prefeitura. Já em 2006, José Serra (PSDB) foi outro tucano que renunciou na capital para concorrer ao governo paulista.

Na administração estadual, o mesmo Serra renunciou em 2010 para concorrer à presidência quando era governador. Assim como ele, Geraldo Alckmin (PSDB) fez o mesmo movimento em 2018, quando deixou o governo paulista com seu vice Márcio França (PSB).

"Para mim governar a cidade que eu nasci, que eu vivo, vai ser a maior honra da minha vida. Eleito prefeito de São Paulo, vou governar os quatro anos, vou fazer o melhor governo da história dessa cidade", completou Boulos sobre a possibilidade de renunciar ao cargo.

O candidato do PSOL já concorreu à presidência em 2018, na sua primeira eleição após uma trajetória na militância como líder do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto).

No primeiro turno das eleições 2020 na capital paulista, Boulos ficou em segundo lugar com 20,24% dos votos, enquanto Covas obteve 32,85%.

*Colaboraram com esta cobertura Allan Brito Motta e Rafael Bragança, do UOL, em São Paulo