PUBLICIDADE
Topo

MBL planeja lançar candidatos a senador e a governador de São Paulo em 2022

Arthur do Val (ao centro), candidato a prefeito de São Paulo, acompanhado do deputado federal Kim Kataguiri (à esq.) e do vereador Fernando Holiday (à dir.) - CELSO LUIX/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Arthur do Val (ao centro), candidato a prefeito de São Paulo, acompanhado do deputado federal Kim Kataguiri (à esq.) e do vereador Fernando Holiday (à dir.) Imagem: CELSO LUIX/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Felipe Pereira

Do UOL, em São Paulo

23/11/2020 04h00

Arthur do Val (Patriota) foi o nome escolhido pelo MBL (Movimento Brasil Livre) para concorrer à Prefeitura de São Paulo na eleição deste ano. Conseguiu 522.210 votos (9,78%), resultado considerado positivo e que encoraja o movimento a lançar um candidato a governador de São Paulo, afirma Renato Battista, coordenador do grupo.

Ele acrescenta que a chapa também deve ter um nome na disputa por uma vaga no Senado. Os indicados ainda serão decididos, declarou Battista. Questionado sobre a possibilidade de Arthur do Val tentar outra eleição majoritária, o coordenador do MBL respondeu que é uma opção, mas o caso ainda vai ser discutido internamente.

Pesa a favor de Arthur do Val o "recall" que ele teria por ter concorrido à prefeitura e os milhares de votos recebidos. Estreante em eleições majoritárias, terminou na quinta posição, à frente de Jilmar Tatto (PT). Para Battista, o resultado mostra a força do grupo.

O MBL hoje é a maior força de direita do estado de São Paulo.
Renato Battista, líder do MBL

Ele lembrou que na capital foram eleitos três vereadores que integram o MBL e outros representantes ocuparão a Câmara Municipal em cidades importantes do interior do estado. A lista conta com Campinas, Guarulhos, Santo André, São Bernardo do Campo e Sorocaba.

Battista atribuiu o resultado a consistência do MBL em ser fiel a suas propostas, como o liberalismo econômico. Acrescenta que esta característica não é comum no meio político. Ele citou Celso Russomanno, que disputou à Prefeitura pelo Republicanos e que, de acordo com o coordenador do MBL, sempre firma aliança com o governante da vez.

MBL pretende continuar parceria com Patriota

Antes da eleição para prefeito de São Paulo, Arthur do Val procurava um partido para se candidatar. Ele havia sido expulso do DEM, fechou acordo com o Patriota e levou seus aliados.

A parceria foi possível porque a exigência de não usar o fundo eleitoral foi aceita. Também pesou a sigla entregar a presidência do diretório municipal de São Paulo a Battista e permitir que ele tomasse as decisões na cidade.

O coordenador do MBL falou que a ideia inicial é manter a aliança com o Patriota. Sobre rumores de que o movimento planeja criar um partido próprio, Battista negou a possibilidade.