PUBLICIDADE
Topo

Datafolha: Herança de votos de quem não foi ao 2º turno favorece Covas

Covas herda mais votos de Rusomanno e Arthur do Val; Boulos é o preferido dos petistas -
Covas herda mais votos de Rusomanno e Arthur do Val; Boulos é o preferido dos petistas

Felipe Pereira

Do UOL, em São Paulo

20/11/2020 16h47

Como nem Bruno Covas (PSDB) nem Guilherme Boulos (PSOL) atingiram a quantidade necessária de votos para vencer em primeiro turno, agora disputam o que ficou de herança dos outros 11 candidatos de fora da eleição.

A pesquisa Datafolha divulgada ontem indica que o atual prefeito larga na frente nesta tarefa.

A maioria das pessoas que optaram por Arthur do Val (Patriota) e Celso Russomanno (Republicanos) respondeu que planeja votar em Covas no segundo turno.

Há empate entre os eleitores de Márcio França (PSB), que ficou na terceira posição. Boulos vence somente entre a faixa da população que escolheu Jilmar Tatto (PT).

A soma de todos os votos dados aos adversários de Covas e Boulos representa 46,91% do eleitorado. Mas os quatro candidatos citados são responsáveis por quase todo este percentual: França, Russomanno, Do Val e Tatto fizeram 42,57% dos votos.

Abaixo o total de voto de cada um deles no primeiro turno e em quem o eleitor planeja votar, segundo a pesquisa do Datafolha.

  • Márcio França: 728.441 votos - 38% Covas; 38% Boulos
  • Celso Russomanno: 560.666 - 56% Covas, 27% Boulos
  • Arthur do Val: 522.210 votos - 47% Covas; 15% Boulos
  • Jimar Tatto: 461.66 votos - 18% Covas; 72% Boulos

Na primeira pesquisa Datafolha no segundo turno, Covas lidera com 48%, ante 35% obtido por Boulos.

O candidato do PSOL vence por ampla margem no eleitorado petista, de quem recebeu apoio. Mas, de todos os concorrentes relevantes no primeiro turno, Tatto foi o menos votado. A análise também é importante para saber o tamanho da diferença de Covas diante do alcançado pela esquerda.

Somando todos os votos deste campo político —incluindo Orlando Silva (PCdoB), Marina Helou (Rede), Vera Lúcia (PSTU) e Antônio Carlos (PCO)— chega-se a 1,58 milhão de eleitores. O total é inferior ao 1,75 milhão de votos conquistados por Covas no primeiro turno.

Isto significa que Boulos precisa conquistar todo o eleitorado da esquerda e ainda ter mais votos que o concorrente junto a estes quatro candidatos citados.

Também estão em jogo os votos de Andrea Matarazzo (PSD), Joice Hasselmann (PSL) e Levy Fidelix (PRTB), que juntos somaram 193.045 votos. Mas a tarefa é difícil porque Joice e Matarazzo anunciaram apoio ao prefeito. Levy Fidelyx está neutro na disputa, mas seu eleitorado tem perfil de direita.

Boulos ainda precisa conquistar os 18% dos votos dados ao PT no primeiro turno, que agora sinalizam ir na direção de Covas.

França ficou em terceiro lugar e teria capacidade de mudar o cenário. Boulos disse ontem que espera consolidar o apoio nesta sexta-feira. Ele conseguiu fechar aliança com o PSB, mas a decisão final de França foi a neutralidade.

Do lado do prefeito, a preocupação é com os votos de pessoas com 60 anos em diante. Covas lidera com folga neste segmento, fazendo 65% contra 23% de Boulos. O que preocupa sua equipe é o comparecimento nas urnas no dia 29 de novembro. Esta faixa etária é grupo de risco de covid-19 e pode não sair de casa por medo.

O Datafolha mostrou que 21% dos eleitores que não votaram no primeiro turno alegou preocupações de saúde. Foi o motivo mais citado para abstenção.