PUBLICIDADE
Topo

RN: MP investiga possível candidatura falsa para fraude em cota de gênero

MP Eleitoral solicitou investigação de possível candidatura falsa em Serrinha (RN) que tinha como objetivo fraudar a cota de gênero  - Ascom/TSE
MP Eleitoral solicitou investigação de possível candidatura falsa em Serrinha (RN) que tinha como objetivo fraudar a cota de gênero Imagem: Ascom/TSE

Do UOL, em São Paulo

23/11/2020 19h28

O Ministério Público Eleitoral por meio da Procuradoria Regional Eleitoral no Rio Grande do Norte solicitou a investigação da possível candidatura falsa de Lucilene da Silva Costa (PV), ao cargo de vereadora, em Serrinha (RN). O objetivo seria fraudar a cota de gênero que determina no mínimo 30% de candidaturas femininas por partido.

Lucilene não obteve nenhum voto em 15 de novembro. Seu resultado aparece como "anulado sub judice" no sistema do TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Mesmo sendo candidata pelo Partido Verde, ela não teria filiação partidária, segundo o MP.

O TSE diz que fraudar a cota de gênero pode anular os votos dos demais candidatos do partido. Sendo assim, os candidatos envolvidos podem responder a Ação de Investigação Judicial Eleitoral e posteriormente Ação de Impugnação de Mandato Eletivo.

O UOL entrou em contato com o PV e aguarda posicionamento da sigla.