PUBLICIDADE
Topo

Vídeo com cestas básicas viraliza, mas Covas nega compra de votos

Imagem mostra carro de som e veículo com número de Bruno Covas em local de distribuição de cestas básicas - Reprodução
Imagem mostra carro de som e veículo com número de Bruno Covas em local de distribuição de cestas básicas Imagem: Reprodução

Felipe Pereira, Nathan Lopes e Marcelo Oliveira

Do UOL, em São Paulo

26/11/2020 21h20Atualizada em 27/11/2020 13h19

Um vídeo que circula nas redes sociais mostra pessoas pegando cestas básicas no Morro Grande, no bairro da Brasilândia, zona norte de São Paulo. Há um carro de som tocando o jingle da campanha de Bruno Covas (PSDB), candidato à reeleição. Também aparece um carro com o número do partido dele cobrindo o capô.

Várias postagens foram feitas nas redes sociais afirmando se tratar de compra de votos. A campanha de Covas afirmou que isso é uma fake news e vai abrir sindicância para apurar o caso (leia mais abaixo).

O UOL encontrou o autor das imagens. Ele disse que não tem certeza de que tenha acontecido alguma irregularidade, mas considerou a situação "estranha". O homem não quis se identificar por medo de represálias. Contou apenas que é sociólogo, tem 39 anos e fez as imagens da casa dos pais, já que não mora mais na região.

Afirmou que não esperava tamanha repercussão, mas gostaria que houvesse uma investigação sobre o caso.

A função do vídeo é expor o fato para que as autoridades possam investigar. É no mínimo estranho distribuir cestas básicas quatro dias antes da eleição com carro de som passando
Autor da gravação, que não quis se identificar

Pessoas que moram na rua onde ocorreu a distribuição afirmaram que às terças e quintas há entrega de leite por parte de uma entidade. O movimento social, contudo, é dirigido por pessoas com vínculo com o PSDB.

Distribuição ocorre há anos

O trecho da rua onde o vídeo foi gravado tem duas mercearias. As atendentes dos dois estabelecimentos declararam que há anos uma entidade social entrega leite. Simone Almeida Souza, 47, mora desde o nascimento no local e acrescenta que o trabalho é feito há cerca de dois anos.

A organização que faz a entrega é o Mosobe (Movimento Social Beneficente), com coordenação do diretor-secretário, Emilson Almeida da Silva. Ele disse que a entidade atua há 20 anos na região da Brasilândia e participa de um programa de distribuição de leite, que é entregue às terças e quintas.

"Não tem nenhum vínculo com a campanha. O material que estão alegando que era [de santinhos] de campanha é a senha do Cidade Solidária", diz ele.

Silva declarou que, durante a pandemia, o Mosobe passou a entregar cestas básicas em colaboração com o programa Cidade Solidária, criado pela Prefeitura de São Paulo para atender pessoas em situação de vulnerabilidade. Sobre o carro, o diretor-secretário afirmou que não tinha relação com a entidade e foi pedido que se afastasse do local.

O dono da garagem no Morro Grande alugada para o Mosobe e onde ocorreu a distribuição de cerca de 400 cestas básicas declarou que o espaço é ocupado há cerca de um ano. Ele não quis dizer o nome e contou que não sabe se foi um ato de campanha. A mesma resposta foi dada por outros moradores.

Vínculo com o PSDB

O movimento social tem caráter social e longo histórico de atuação, mas seu diretor-secretário é filiado ao PSDB. Silva conta que já foi diretor zonal do partido na Brasilândia. A presidente do Mosobe está licenciada: Viviane Ferreira de Aquino Silva já foi assistente parlamentar do ex-deputado Celino Cardoso.

Ele cumpriu mandato até 2018, é filiado ao PSDB e descrito como "líder e parceiro" do Mosobe na legenda de uma foto publicada no Facebook em 7 de junho de 2018. Silva declarou que o ex-deputado não tem mais contato com a entidade e voltou a negar que exista intenção eleitoral na distribuição das cestas básicas.

Nenhum morador contrariou a afirmação do diretor-secretário da instituição. Mas disseram que hoje havia o dobro de gente do que o normal.

A equipe de Bruno Covas foi procurada pela reportagem e enviou nota afirmando que não distribui cestas básicas. Confira a íntegra:

"A campanha de Bruno Covas não distribui cestas básicas. É inadmissível que, há três dias das eleições, este tipo de conduta esteja sendo compartilhada. Apesar dos ataques e das fake news, vamos manter a nossa postura de mostrar aos eleitores o que fizemos nos últimos anos à frente da prefeitura da capital e o que vamos realizar nos próximos quatro anos".

Mais tarde, a prefeitura enviou outra nota para esclarecer "que a distribuição de cestas faz parte do Programa Cidade Solidária, instituído no início da pandemia —em abril, por meio do Decreto nº 59.377, com foco na segurança alimentar frente a crise de emprego e renda".

"O programa é uma ação do poder público que conjuga e organiza os esforços da sociedade civil, em uma rede de solidariedade, com o objetivo de ajudar pessoas em situação de vulnerabilidade na capital durante a crise do coronavírus.

Desde abril, início do programa, foram distribuídas mais de 2 milhões de cestas básicas (média de 4 mil por dia) a famílias em situação de vulnerabilidade, onde são contemplados grupos variados de diversas regiões da cidade, desde ambulantes, imigrantes, catadores, pessoas com deficiência e indígenas. O programa também entregou mais de um milhão de itens de higiene e limpeza e atendeu a população com máscaras de proteção.

O Cidade Solidária iniciou sua ação em parceria com as entidades civis inseridas no Pacto por Cidades Justas e com ação direta de um conjunto de secretarias municipais que desenvolvem ações sociais nos territórios.

Todas as entidades parceiras assinaram um termo de adesão com a Prefeitura de São Paulo se comprometendo a executar a distribuição das cestas respeitando integralmente às recomendações do Ministério Público Eleitoral. Qualquer ação por parte das entidades que não tenha respeitado a recomendação descumpre o acordo estabelecido no termo de adesão e será apurada.

Apesar disso, diante das dúvidas levantadas sobre a ação continuada, a CGM abriu preventivamente sindicância para investigar com rigor a operação".

Você utiliza a Alexa? O UOL é o parceiro oficial da assistente de voz da Amazon, com boletins de notícias e dados atualizados das últimas pesquisas eleitorais e dos resultados do 2º turno. Para saber sobre a eleição na sua cidade com a credibilidade do UOL, pergunte: "Alexa, qual é o resultado da pesquisa eleitoral em São Paulo?", por exemplo, ou "Alexa, quem ganhou a eleição no Rio de Janeiro?". Nos encontramos lá!