PUBLICIDADE
Topo

Schelp: Manuela D'Ávila é alvo de ataques machistas que fogem do debate

Do UOL, em São Paulo

27/11/2020 13h22Atualizada em 27/11/2020 13h33

A disputa pela Prefeitura em Porto Alegre tem sido marcada por ofensas entre Rodrigo Maroni (PROS) e Manuela D'Ávila (PCdoB). Em outubro, durante um debate promovido pela Band, ela foi chamada de "traidora" e "sonsa". No debate da Rádio Gaúcha, em novembro, o candidato voltou a atacá-la: "Tu é patricinha mimada". Em seu pedido de resposta, Manuela classificou os ataques como "violência de gênero".

No podcast Baixo Clero #67, o colunista do UOL Diogo Schelp lamentou o nível que a campanha tem tomada, pautada por ataques machistas contra a candidata do PCdoB.

"A Manuela está sendo alvo de ataques e de fake news, de cunho machista, violentíssimos. São coisas voltadas contra a aparência dela, usando fotos e manipulando fotos dela. Contra a pessoa dela, coisa que não se vê, por exemplo, em São Paulo, nem com Guilherme Boulos nem como Bruno Covas", disse Schelp (Ouça a partir do minuto 29:05).

Em tutela provisória, o TRE-RS (Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul) ordenou no último dia 10 que o Facebook, o Instagram, o Twitter e o YouTube removessem 91 links com mentiras sobre Manuela no prazo de 24 horas.

Entre as publicações, existe uma falsa fala sobre aborto atribuída à Manuela — "abortar é a única saída para não criar filho de vagabundo sozinha!" — até postagens que relacionam falsamente D'Ávila ao autor da facada contra Jair Bolsonaro (sem partido).

Schelp enfatizou a diferença das discussões em São Paulo e Porto Alegre. "É tudo em cima de política, de biografia política, de propostas [em São Paulo]. Não é o caso do que está enfrentando a Manuela", avaliou. (Ouça a partir do minuto 29:05)

"Tem coisas surreais da Manuela, como uma postagem que mostra uma foto dela com 15 anos de idade, ao lado do pai, sugerindo que se trata do namorado. É uma baixaria completa", completou. (Ouça a partir do minuto 29:05)

"Ao invés de manter as críticas nesse nível das propostas e da biografia política, que é algo que a gente tem visto aqui [São Paulo], mesmo que de maneira dura, em Porto Alegre a Manuela está sendo alvo de ataques muito vis, é uma coisa amoral o que está acontecendo por lá", disse Schelp (Ouça a partir do minuto 29:05).

A declaração foi dada durante o episódio apresentado por Carla Bigatto e com a participação da também colunista do UOL Carolina Trevisan. Na ocasião, os colunistas comentavam a pesquisa Ibope de intenções de votos para o segundo turno da eleição municipal em Porto Alegre, divulgada nesta semana. A pesquisa mostra Sebastião Melo (MBD) na liderança, contra Manuela D'Ávila (PCdoB).

O levantamento corrobora a virada de Melo no primeiro turno, quando apesar de as pesquisas indicarem vantagem da rival, ele foi o mais votado nas urnas.

Trevisan, por sua vez, comentou a rejeição, que avalia como muito grande, ao partido da candidata.

"Acho que tem uma rejeição muito grande ao PCdoB também, o segundo turno tem a ver com rejeição, né. Então se a gente não consegue mexer na rejeição, fica difícil avançar mesmo. Acho que tem a ver com isso. Além do mais, a coalizão de partidos que tem o Melo é enorme, junta de Rede a partidos do centrão, e todo mundo. Ele tem muita força política. Então a desistência acho que impactou a Manuela, mas está bem empatado e muita coisa pode acontecer ainda", disse Trevisan. (Ouça a partir do minuto 26:48).

Baixo Clero está disponível no Spotify, na Apple Podcasts, no Google Podcasts, no Orelo, no Castbox, no Deezer e em outros distribuidores. Você também pode ouvir o programa no YouTube. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.