PUBLICIDADE
Topo

MDB passa PSDB e lidera eleição de prefeitos nas 100 cidades mais populosas

Sebastião Melo (MDB), prefeito eleito em Porto Alegre, superou Manuela D"Ávila (PCdoB) - Hygino Vasconcellos/UOL
Sebastião Melo (MDB), prefeito eleito em Porto Alegre, superou Manuela D'Ávila (PCdoB) Imagem: Hygino Vasconcellos/UOL

Carlos Madeiro

Colaboração para o UOL, no Recife

29/11/2020 22h36Atualizada em 30/11/2020 09h38

O MDB será o partido que mais governará municípios na lista das 100 cidades mais populosas do país, desbancando o PSDB, que há quatro anos foi o maior vitorioso nesses locais.

Com o segundo turno finalizado, o ranking de prefeituras ficou mais concentrado em partidos: de 20 caiu para 19 o número de siglas que vão governar essas cidades.

Nos dois turnos dessa eleição, o MDB venceu em 18 cidades, entre elas cinco capitais (foi o que mais elegeu em capitais entre todos). O PSDB veio logo em seguida, com 16 cidades entre 100 mais populosas, com destaque para a reeleição de Bruno Covas em São Paulo. O PSD teve um grande salto e saiu de quatro para 11 cidades entre as maiores.

Em 2016, o PSDB teve um resultado eleitoral bem mais expressivo, com 27 prefeitos eleitos no top 100, inclusive São Paulo (com a vitória da chapa João Doria-Bruno Covas). O MDB tinha eleito 15 na ocasião.

O PT foi o partido que teve um crescimento percentual significativo, mas governará apenas quatro das 100 maiores cidades (na eleição passada tinha feito apenas uma delas, Rio Branco), e desta vez nenhuma delas é capital.

O PSL, segundo partido com mais recursos do fundo eleitoral, atrás do PT, não venceu em nenhuma das 100 maiores cidades.

Alguns partidos estrearam com vitórias entre as maiores cidades. É o caso do Novo, do Patriotas, do PSOL e do PROS, que venceram em uma cidade cada um.

No caso das 100 cidades mais populosas, importante citar que a lista de 2020 exclui Macapá, que ainda terá eleição por conta do apagão que houve em outubro.

Confira a lista:

2020:

  • MDB - 18
  • PSDB - 16
  • PSD - 11
  • DEM - 10
  • Podemos (Incorporou PTN e PHS) - 7
  • PP - 7
  • PDT - 4
  • PSB - 4
  • PT - 4
  • Cidadania (antigo PPS) - 3
  • Republicanos (Antigo PRB) - 3
  • Solidariedade - 3
  • Avante - 2
  • PL (Antigo PR) - 2
  • NOVO - 1
  • Patriotas - 1
  • PROS - 1
  • PSC - 1
  • PSOL - 1

2016:

  • PSDB - 27
  • MDB - 15
  • DEM - 8
  • PPS - 7
  • PSB - 8
  • PSD - 4
  • PDT - 4
  • PR - 4
  • PSC - 3
  • PV - 3
  • PTB - 3
  • PHS - 2
  • PP - 2
  • PRB - 2
  • REDE - 2
  • PCdoB - 1
  • PMB - 1
  • PMN - 1
  • PT - 1
  • PTN - 1
  • SD - 1

Errata: o texto foi atualizado
A reportagem do UOL errou ao afirmar que o PSL é o partido com maior fundo eleitoral no Brasil. A agremiação fica em segundo lugar (R$ 199 milhões), atrás do PT (R$ 201 milhões). A frase foi corrigida.