Topo

Avião da AirAsia com 162 a bordo some entre a Indonésia e Cingapura

Familiares dos passageiros do voo 8501 da AirAsia aguardam informações no aeroporto de Surabaia, na Indonésia, de onde a aeronave partiu em direção a Cingapura - AFP
Familiares dos passageiros do voo 8501 da AirAsia aguardam informações no aeroporto de Surabaia, na Indonésia, de onde a aeronave partiu em direção a Cingapura Imagem: AFP

Do UOL, em São Paulo

28/12/2014 07h59Atualizada em 29/12/2014 11h27

As autoridades da aviação civil da Indonésia perderam o contato neste domingo (28) com um Airbus 320-200 que voava da cidade de Surabaia, na ilha de Java, até Cingapura com 162 pessoas a bordo, sendo 155 passageiros e sete tripulantes.

A aeronave desapareceu quando sobrevoava a região a sudoeste da ilha de Bornéu.

O avião pertence à frota da companhia aérea AirAsia, corresponde ao voo QZ 8501, tem o número de registro PK-AXC e decolou de Surabaia às 5h20 hora local com previsão de aterrissar em Cingapura às 8h30 (22h30 de sábado em Brasília).

O Ministério de Transporte indonésio informou que o contato foi perdido por radar com a aeronave cerca de 40 minutos após partir.

De acordo com a AirAsia, havia no avião 156 indonésios, três coreanos, um malaio, um cingapuriano e um francês. Entre os passageiros, havia 16 crianças e um bebê.

Segundo um funcionário da Agência Nacional de Busca e Resgate da Indonésia ouvido pelo jornal "Jakarta Post", as equipes trabalham com a possibilidade de o avião ter caído sobre o mar.

Piloto relatou mau tempo

Segundo o Ministério de Transporte da Indonésia e a AirAsia, o piloto do avião solicitou à torre de controle uma mudança de rumo devido ao mau tempo.

Um porta-voz do ministério disse que o piloto do Airbus, que voava cerca de 32 mil pés de altura (9,76 quilômetros), pediu permissão para subir até os 38 mil (11,59 quilômetros), segundo o diário local "Jakarta Globe".

O porta-voz disse que esta solicitação aconteceu às 6h12 hora local, menos de uma hora depois de decolar.

A AirAsia confirmou o pedido e assinalou que se deveu ao mau tempo e que aconteceu "antes que a comunicação com o avião se perdesse, quando ainda estava [em contato] com a torre de controle aéreo da Indonésia".

Um Boeing 737 da Força Aérea da Indonésia, seis navios e três helicópteros participam da operação de busca e resgate.

Contudo, o mau tempo tem dificultado as operações de busca, realizadas em uma área de quase 200 quilômetros quadrados. A visibilidade no local, segundo a Marinha, varia entre dois e 5 quilômetros.

A zona de rastreamento se centra na ilha de Belitung e nas águas de seu entorno.

"Primeiro vamos supervisionar a região e se encontramos um objeto então avisaremos a Agência Nacional de Busca e Resgate [que fornece as embarcações e helicópteros]. Suspeitamos que o avião desaparecido possa estar nessas águas", declarou o porta-voz da Força Aérea, Hadi Tjahjanto.

Belitung fica em frente à costa sudeste de Sumatra e a sudoeste da ilha de Bornéu, e compreende uma superfície de 4.800 quilômetros quadrados formados por montanhas e terreno inclinado.

Avião desaparecido em março

Um avião da companhia aérea Malaysia Airlines com 239 pessoas a bordo que viajava de Kuala Lumpur para Pequim desapareceu em 8 de março de 2014 e não se voltou a saber dele.

Os investigadores acreditam que o voo MH370 foi desviado de seu rumo e acabou caindo por falta de combustível em um lugar remoto do sul do oceano Índico. (Com agências internacionais)

Mais Internacional