"Encontramos os destroços", diz vice-presidente da EgyptAir

Do UOL, em São Paulo

O vice-presidente da companhia aérea EgyptAir, Ahmed Adel, confirmou em entrevista à rede de TV norte-americana CNN nesta quinta-feira (19) que foram encontrados destroços do avião que desapareceu dos radares na madrugada de hoje, com 66 pessoas a bordo, quando voava de Paris para o Cairo.

"Nós encontramos os destroços", afirmou Adel. De acordo com o executivo, coletes salva-vidas estão entre os objetos localizados.

Em comunicado oficial em inglês divulgado em redes sociais, a EgyptAir afirma que "o Ministério da Aviação Civil egípcio recebeu uma carta oficial do Ministério de Relações Exteriores confirmando a localização de destroços da aeronave desaparecida MS804 perto da ilha de Cárpatos", no mar Mediterrâneo.

"A EgyptAir sinceramente transmite seu profundo pesar a parentes e amigos dos passageiros a bordo do voo MS804", diz o comunicado.

Por meio de sua conta no Twitter, a companhia aérea também confirmou, em árabe, que autoridades da Grécia localizaram mais cedo, perto da ilha grega de Cárpatos, possíveis partes de um avião, incluindo materiais flutuantes, coletas salva-vidas e materiais plásticos, de acordo com o jornal britânico "Guardian".

A agência Reuters já tinha divulgado que uma fragata grega em busca do avião desaparecido encontrou dois grandes objetos flutuando em uma região do mar 230 milhas ao sul da ilha grega de Creta nesta quinta-feira, citando fontes da Defesa da Grécia.

Os dois objetos parecem ser peças de plástico nas cores vermelho e branco. Elas foram vistas perto de uma área onde um sinal de transponder foi emitido mais cedo, disseram as fontes.

A televisão estatal grega ERT noticiou informação similar, dizendo que dois objetos "de cor laranja" foram localizados na mesma área.

Manobras improváveis e terrorismo

O voo da EgyptAir de Paris ao Cairo desapareceu dos radares pouco depois de deixar o espaço aéreo grego e minutos após entrar no espaço aéreo egípcio. A aeronave saiu de Paris às 23h09, no horário local (18h09 em Brasília), com 66 pessoas a bordo (56 passageiros e dez tripulantes), em direção ao Cairo.

A maioria dos passageiros, entre os quais estão dois bebês e uma criança, é de nacionalidade egípcia (30) e francesa (15).

Antes de sumir, o avião não emitiu sinais de socorro e realizou "guinadas repentinas", mergulhando no ar antes de desaparecer dos radares sobre o sul do Mediterrâneo, disse o ministro da Defesa da Grécia.

Os investigadores não descartam que o sumiço, por conta de sua rapidez, possa ter sido provocado por um ato terrorista, com a explosão de uma bomba, por exemplo.

"Às 3h39 da manhã, o curso da aeronave era sul e sudeste de Kassos e Cárpatos [ilhas gregas]. (...) Imediatamente depois, entrou no espaço aéreo do Cairo e fez guinadas e desceu como descrevo: 90 graus para a esquerda e 360 graus para a direita", disse o ministro Panos Kammenos, da Defesa, em entrevista coletiva.

O Airbus AIR.PA A320 mergulhou de uma altitude de 37.000 pés para 15.000 pés antes de desaparecer dos radares, acrescentou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos