Obama entra pessoalmente na campanha de Hillary em evento nesta terça

Do UOL, em São Paulo

  • AP Photo/Carolyn Kaster/Arquivo

    Barack Obama e Hillary Clinton descem do Air Force One em Mianmar em 2012

    Barack Obama e Hillary Clinton descem do Air Force One em Mianmar em 2012

Nesta terça-feira (5), quando subir ao palco do comício de Hillary Clinton pela primeira vez na campanha, o presidente Barack Obama mostrará uma nova fase em sua relação com sua ex-rival e ex-secretária de Estado: a codependência.

A possibilidade de Hillary ganhar a corrida pela Casa Branca depende da conquista do apoio da coalizão do presidente, enquanto o legado de Obama depende da vitória de Hillary. Oito anos depois de ambos gastarem milhões de dólares na disputa pela candidatura democrata, o discurso é outro e agora um promove e elogia o outro em público.

A história de como os rivais passaram a ser amigos deve estar no centro da apresentação que Obama fará em Charlotte, Carolina do Norte, segundo afirmaram assistentes dos dois à Associated Press. Em sua mensagem, Obama se apresentará como testemunha da personalidade de sua ex-secretária de Estado, que luta para convencer os eleitores de sua confiança e honestidade. Não há melhor político que deponha a seu favor, afirmam muitos democratas.

"Creio que ele pode ser muito útil, particularmente entre os eleitores democratas e alguns independentes que podem ter dúvidas" disse David Axelrod, principal estrategista da campanha de Obama em 2008 para ganhar a nomeação democrata disputada com Hillary. "Ele pode fazer isso compartilhando sua própria experiência. Eles foram rivais, tiveram suas diferenças; isso dá um peso maior".

A campanha de Hillary também espera que Obama atue para ajudar a lembrar outro capitulo popular na carreira dela. Durante quatro anos, o presidente confiou na ex-rival para representar a política americana como chanceler. Esteve ao seu lado na Sala de Crise da Casa Branca. Durante seu período no Departamento de Estado, teve seu trabalho aprovado pela maioria dos americanos.

Vantagem tática de Hilllary

Além do apoio oficial do presidente, Hillary poderá contar com a máquina eleitoral alimentada por dados que levaram a duas vitórias de Obama na Casa Branca. Os chefes de campanha da candidata afirmam que esta é uma vantagem crucial, com uma quantidade enorme de dados e informações de eleitores e doadores, além de um corpo de ativistas treinados e voluntários que atuaram nas campanhas de Obama e com quem a campanha de Hillary está se unindo.

A joia da coroa é uma lista de e-mails com mais de 20 milhões de endereços usados em 2012, na reeleição de Obama, e que agora podem ser usados por Hillary. A lista estava em poder de um comitê da campanha de Obama que ainda existe para saldar velhas dívidas. A lista, que será usada por Hillary agora, for comprada por um preço alto, não revelado.

Com uma cópia da lista que ajudou Obama a arrecadar doações recordistas, a campanha democrata pode começar os trabalhos na divulgação de eventos para levantar fundos. Mitch Stewart, diretor da campanha de Obama nos Estados mais disputados em 2012, disse que foi discutido se a estratégia digital funcionaria para outros políticos democratas ou se era válida apenas para Obama. Segundo ele, a continuidade das campanhas de Obama e Hillary demonstra sustentabilidade.

"A equipe de Hillary não tem que aprender outra vez em 2016 as lições que aprendemos em 2008 e 2012", disse Stewart em entrevista para a Associated Press. Segundo ele, muitas pessoas que trabalharam com Obama hoje estão com Hillary.

Conheça algumas curiosidades sobre as eleições americanas

  •  

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos