Comunidade internacional apoia governo eleito após tentativa de golpe na Turquia

Do UOL, em São Paulo

A tentativa de golpe militar na Turquia nesta sexta-feira (15) gerou reações de apoio à democracia entre a comunidade internacional.

Por meio de seu porta-voz, a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, manifestou seu apoio ao governo "democraticamente eleito" da Turquia e pediu respeito à "ordem democrática". A mesma posição foi adotada pela Otan, que tem Ancara como um de seus principais membros.

O ministro das Relações Exteriores, José Serra, declarou ontem que o governo brasileiro defende o respeito às instituições, segundo comunicado divulgado pelo Itamaraty. "O governo brasileiro insta todas as partes a se absterem do recurso à violência e recorda a necessidade de pleno respeito às instituições e à ordem constitucional."

Israel também expressou neste sábado (16) respeito à democracia na Turquia e disse que acredita na continuação do processo de reconciliação iniciado entre os dois países em junho após seis anos de interrupção das relações diplomáticas.

"Israel respeita o processo democrático na Turquia e espera que continue o processo de reconciliação entre Turquia e Israel", diz um breve comunicado emitido hoje por um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores.

Obama convoca equipe de segurança

O presidente norte-americano, Barack Obama, convocou neste sábado uma reunião de sua equipe de segurança nacional e de política externa para analisar a situação após o golpe de estado fracassado na Turquia.

Obama entrou em contato ontem com o secretário de Estado, John Kerry, que está na Europa, e ambos acordaram que "as partes devem apoiar o governo eleito democraticamente da Turquia e evitar a violência e o banho de sangue".

Tentativa de golpe deixou ao menos 265 mortos 

O primeiro-ministro turco anunciou neste sábado o fracasso da tentativa de golpe militar nesta sexta-feira, que deixou pelo menos 265 mortos, mas o presidente Recep Tayyip Erdogan pediu a seus partidários para que permaneçam nas ruas prontos para qualquer "nova onda".

A situação está "completamente sob controle", garantiu o primeiro-ministro Binali Yildirim à imprensa, citando um balanço humano trágico após uma noite de confrontos violentos em Ancara e Istambul.

A tentativa de golpe de Estado fez 161 mortos e 1.440 feridos, sem contar os golpistas, declarou Yildirim, indicando que 2.839 militares foram presos em conexão com esta tentativa que ele chamou de "mancha" na democracia turca.

Pouco antes, o chefe do exército havia informado sobre 104 golpistas mortos.

(Com agências internacionais)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos