PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Coletes amarelos entram em confronto com a polícia nas ruas de Paris

Manifestantes do grupo coletes amarelos entraram em confronto com a polícia nas ruas de Paris - Photo by Thomas SAMSON / AFP
Manifestantes do grupo coletes amarelos entraram em confronto com a polícia nas ruas de Paris Imagem: Photo by Thomas SAMSON / AFP

Do UOL, em São Paulo*

16/03/2019 09h09Atualizada em 16/03/2019 09h34

Manifestantes do grupo coletes amarelos entraram em confronto com a polícia nas ruas de Paris. Pelo 18º sábado seguido, os manifestantes protestam contra o governo do presidente francês Emmanuel Macron.

O confronto entre policiais e coletes amarelos acontece na avenida Champs-Elysées, próximo ao Arco do Triunfo. Lojas foram saqueadas pelo grupo, que usou coquetéis molotov. A polícia respondeu com gás e jatos de água. Vinte pessoas que participavam do ato foram presas.

Além do protesto dos coletes amarelos, há a previsão de outras manifestações sindicais e ecologistas para hoje em Paris. O primeiro protesto dos coletes amarelos aconteceu em 17 de novembro de 2018, por causa do reajuste no preço dos combustíveis e por melhora no poder aquisitivo da população.

O ministro do Interior, Christophe Castaner, disse nas redes sociais que os coletes amarelos estão nas ruas para semear o caos em Paris, que são "profissionais treinados e mascarados da desordem" e que a instrução para a polícia é "responder com a máxima firmeza".

Lojas saqueadas e confronto com policiais

Manifestantes, muitos usando a cor preta e capuzes ou capacetes, jogaram pedras contra a polícia, que respondeu com gás lacrimogêneo. Um grupo invadiu lojas na Champs Elysees.

Segundo imagens difundidas pelas televisões, alguns manifestantes tentaram atacar um caminhão da polícia enquanto outros erguiam barricadas. Segundo um balanço divulgado pela polícia nesta manhã, 31 pessoas foram detidas.

Apresentado como um "ultimato" ao presidente Macron, essa nova mobilização do movimento apolítico acontece depois de uma série de debates na França com os quais o governo esperava canalizar a ira dos manifestantes e fazer surgir propostas concretas.

O número de manifestantes diminuiu nas últimas semanas. Segundo os dados do Ministério do Interior, eram 28.600 manifestantes em toda a França na semana passada, um décimo dos 282.000 que tomaram as ruas no início do movimento.

(*Com informações da AFP)

Internacional