PUBLICIDADE
Topo

Em 24 horas, Irã teve mortos em funeral, queda de avião e terremoto

Wanderley Preite Sobrinho

Do UOL, em São Paulo

08/01/2020 09h27

Resumo da notícia

  • Irã vive sequência de tragédias nos últimos dias
  • Na manhã de hoje, um avião com mais de 170 pessoas caiu; causa é desconhecida
  • O país também sofreu um terremoto, sem mortos
  • Ontem, dezenas morreram durante funeral de general morto pelos EUA

Após o ataque americano que matou o segundo homem mais poderoso do Irã, o país vive uma sequência de tragédias nas últimas 24 horas: ao menos 56 pessoas morreram pisoteadas no funeral do general Qassim Suleimani, um terremoto atingiu o sudoeste do país e um avião caiu deixando 176 mortos.

Ainda não se sabe se a queda da aeronave se relaciona com a crise com os EUA, e o tremor de terra aparentemente tem causas naturais. Ainda assim, a sequência de fatos elevam a tensão na área já conturbada. Ontem, o Irã assumiu a autoria de disparos contra bases americanas no vizinho Iraque.

6h12 - Queda do avião

O dia de hoje no Irã começou com a notícia de que um Boeing-737 da Uranie Internacional Airlines caiu com 176 pessoas logo após a decolagem —às 6h12 (horário local, 23h42 em Brasília)— do Aeroporto Internacional Imam Khomeini, em Teerã.

Segundo um porta-voz do aeroporto, estavam a bordo 167 passageiros e nove membros da tripulação. Ninguém sobreviveu.

A Ucrânia chegou a falar em falha técnica, mas recuou. As razões da queda ainda são investigadas.

Avião ucraniano cai no Irã e deixa 176 mortos

AFP

6h49 - Tremor de terra

Minutos depois, às 6h49 locais, um tremor de magnitude 4,5 foi registrado em uma região do sudoeste do Irã, perto da central nuclear de Bushehr.

Com dez quilômetros de profundidade, o sismo não deixou vítimas, mas afetou a zona situada a 17 quilômetros a sudeste da cidade de Borazjan, onde uma semana antes um terremoto de magnitude 5,1 já havia ocorrido.

Mortos em funeral

Ontem, a tragédia iraniana aconteceu durante o enterro de Suleimani. Cerca de 1 milhão de pessoas acompanhavam a chegada do corpo à cidade natal do general, Kerman, quando uma confusão terminou com ao menos 56 pessoas mortas e 210 feridas por pisoteamento, incluindo crianças.

Por causa da tragédia, o enterro do general foi adiado por horas, e só terminou à noite.

1h30 de terça - Ataque a bases no Iraque

Além das tragédias em próprio solo, o governo iraniano decidiu responder ao ataque dos Estados Unidos ocorrido na sexta e bombardeou duas bases iraquianas com tropas americanas à 1h30 no horário local (19h de segunda em Brasília). Ainda não há confirmação de vítimas.

A Guarda Revolucionária Islâmica do país disse em comunicado à TV estatal iraniana que lançou "dezenas" de mísseis em uma operação batizada de "Mártir Soleimani". Os Estados Unidos falam em 12 artefatos.

Ao menos dez mísseis atingiram a base Ain al-Asad, em Anbar. A outra fica em Erbil, na região semi-autônoma do Curdistão, que teria sido acertada por dois mísseis. Outro artefato caiu próximo do aeroporto de Erbil, mas não explodiu nem causou vítimas, segundo o site de notícias CNN.

Khamenei: ataque com mísseis é 'bofetada' nos EUA

AFP

Internacional