PUBLICIDADE
Topo

Boris Johnson chama morte de George Floyd de "terrível e indescupável"

Premiê disse que entende direito de protestar, mas que Reino Unido deve respeitar o isolamento social - Divulgação/10 Downing Street via Getty Images
Premiê disse que entende direito de protestar, mas que Reino Unido deve respeitar o isolamento social Imagem: Divulgação/10 Downing Street via Getty Images

Do UOL, em São Paulo

03/06/2020 10h07Atualizada em 03/06/2020 10h38

O primeiro-ministro britânico Boris Johnson classificou a morte de George Floyd — após ser sufocado por quase nove minutos por um policial nos EUA — de "terrível" e "indesculpável". O premiê deu a declaração hoje na Câmara dos Comuns, quando foi questionado pelo líder do Partido Trabalhista.

"Acho que o que aconteceu nos Estados Unidos foi terrível, foi indesculpável, todos nós vimos isso e compreendo perfeitamente o direito das pessoas a protestar contra o que aconteceu", disse ele. Ainda assim, Boris Johnson alertou que os protestos têm que ser "de maneira legal e razoável'.

O líder da oposição, Keir Starmer, exigiu que o premiê levasse a questão da reação as manifestações para Donald Trump, presidente dos EUA, em uma próxima reunião entre os líderes.

Boris teria dito que "é claro que vidas negras são importantes", mas disse novamente que os protestos têm que ser pacíficos e que, no Reino Unido, se deve respeitar o isolamento social.

Um protesto estava marcado para às 13 horas no horário local. Segundo a imprensa britânica, milhares de manifestantes estão reunidos no Hyden Park, em Londres, com máscaras e cartazes de protestos.

Um outro grupo pede para que todos os britânicos se ajoelhem em frente das suas casas às 18 horas, seguindo o que foi feito em algumas manifestações nos EUA e inspirado no gesto de Colin Kaepernick, jogador de futebol americano.

Internacional