PUBLICIDADE
Topo

57 agentes deixam equipe após policiais que agrediram idoso serem suspensos

30.mai.2020 - Policiais em trajes especiais avançam contra manifestantes nos EUA - Craig Lassig/Efe
30.mai.2020 - Policiais em trajes especiais avançam contra manifestantes nos EUA Imagem: Craig Lassig/Efe

Do UOL, em São Paulo

05/06/2020 21h15Atualizada em 06/06/2020 14h38

Um grupo formado por 57 policiais deixou a equipe de emergência de Buffalo, no estado de Nova York, em aparente solidariedade aos dois agentes que foram suspensos hoje por agressão a um homem de 75 anos.

A informação foi publicada pela CNN norte-americana. Os 57 profissionais deixaram a equipe de emergência, mas não abandonaram a polícia de forma geral. O idoso agredido com um empurrão foi ferido pelo ato, e imagens do protesto de ontem mostram que a cabeça dele chegou a sangrar.

Uma investigação interna sobre o caso de agressão ao homem também foi aberta. De acordo com o prefeito Byron Brown, o idoso foi socorrido e levado para um hospital da região. Ele está em condição "estável, mas grave".

O episódio provocou a ira do governador de Nova York, Andrew Cuomo, que afirmou que "a polícia deve defender as pessoas e se defender, e isso é um fato. Mas também existem casos de abuso de poder, e isso também é um fato". "Os abusos devem terminar, devemos mudar".

A cena ocorreu durante os protestos contra o racismo, motivados pela morte de George Floyd. O homem foi a óbito após ação policial, na qual teve o pescoço pressionado pelo joelho do agente Derek Chauvin, que está preso em regime de segurança máxima.

Internacional