PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Prefeita de Seattle ordena saída de manifestantes antirracistas de ocupação

Zona sem policiamento foi criada após ocupação dos manifestantes há três semanas, em Seattle - LINDSEY WASSON/REUTERS
Zona sem policiamento foi criada após ocupação dos manifestantes há três semanas, em Seattle Imagem: LINDSEY WASSON/REUTERS

Do UOL, em São Paulo

01/07/2020 11h00Atualizada em 01/07/2020 13h26

A prefeita de Seattle (EUA), Jenny Durkan, emitiu hoje uma ordem para que manifestantes que ocupam quarteirões ao redor de uma delegacia na zona leste da cidade sejam retirados do local. A ocupação já dura cerca de três semanas, tendo começado em 8 de junho.

O prédio está vazio após a polícia se retirar devido a confrontos com manifestantes dos protestos antirracistas, que acontecem desde maio com a morte de George Floyd por policiais brancos em Minneapolis, nos Estados Unidos.

A zona ficou conhecida por não ter policiamento desde então.

Os agentes já foram acionados e direcionados para a região, cumprindo a ordem da prefeita.

Em um comunicado pelo Twitter, a polícia local informou que registrou assaltos e agressões.

"Desde o início das manifestações na região de East Precinct, em 8 de junho, dois adolescentes foram mortos e três pessoas ficaram gravemente feridas em tiroteios no final da noite", escreveu o departamento.

Os manifestantes negam que as mortes são de responsabilidade dos protestos e da ocupação.

A polícia de Seattle ainda informou no seu perfil que os agentes estão equipados com "proteção adicional", já que "os indivíduos associados ao CHOP [sigla em inglês para "Protesto Organizado de Capitólio Hill"] são conhecidos por estarem armados e perigosos e podem estar associados a tiroteios, homicídios, assaltos, agressões e outros crimes violentos".

A ação estava dispersando manifestantes e investigando carros estacionados na região. Não havia informações oficiais sobre prisões.

Internacional