PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Dois policiais são baleados em protesto após decisão no caso Breonna Taylor

Protesto em Louisville, nos EUA, contra a decisão da justiça que fez acusações leves contra o policial que matou a enfermeira Breonna Taylor, em março - Jeff Dean/AFP
Protesto em Louisville, nos EUA, contra a decisão da justiça que fez acusações leves contra o policial que matou a enfermeira Breonna Taylor, em março Imagem: Jeff Dean/AFP

Do UOL, em São Paulo

23/09/2020 23h57Atualizada em 24/09/2020 12h56

Ao menos dois policiais de Louisville, no estado americano de Kentucky, foram baleados durante manifestações ocorridas na noite de hoje devido à decisão de um júri, que optou por não acusar nenhum policial pelo assassinato de Breonna Taylor.

"Dois agentes da polícia ficaram feridos a bala", declarou em coletiva de imprensa o chefe interino da polícia de Louisville, Robert Schroeder, antes de revelar que os policiais "não correm risco de vida". "Temos um suspeito sob custódia", continuou. A polícia disse ainda que ambos os policiais estavam em condições estáveis e um deles passou por cirurgia.

A polícia denunciou uma "rebelião" depois que os manifestantes danificaram um prédio da corporação. "Para aqueles que se reuniram diante da Delegacia Central da 2ª Avenida Sudoeste. Esta reunião foi declarada uma rebelião", disse a força policial no Twitter. A multidão foi instruída a se dispersar ou enfrentar gás lacrimogêneo, outros agentes de controle de multidões ou a prisão.

Breonna Taylor, de 26 anos, foi morta a tiros por policiais enquanto estava no quarto de seu apartamento em Kentucky no dia 13 de março. A decisão do júri aconteceu hoje e nenhum dos três policiais envolvidos foi acusado do tiroteio fatal.

Milhares de manifestantes foram às ruas em Louisville, após o anúncio da decisão, para denunciar os abusos policiais contra a minoria negra. Um dispositivo policial foi mobilizado na localidade, de 600 mil habitantes, e houve várias prisões à tarde.

Lojas do centro da cidade protegeram suas fachadas ante o temor de uma onda de violência gerada pela decisão judicial. O município decretou estado de emergência e convocou um toque de recolher a partir das 21h locais.

Em um vídeo transmitido ao vivo pelo Departamento de Polícia de Louisville, policiais podiam ser vistos em algumas esquinas, formando uma linha e segurando o que parecia ser madeira, segundo o NYT.

Instantes depois, vários outros estrondos são ouvidos no vídeo e os policiais se dispersam. "Tiros disparados, tiros disparados", dizia a mulher que realizava a transmissão ao vivo.

Um dos manifestantes lançou um coquetel Molotov contra policiais diante da delegacia, como mostrou um vídeo da polícia de Portland publicado no Twitter. Janelas superiores pareciam ter sido danificadas, e parte de um toldo diante do edifício estava em chamas, de acordo com uma fotografia compartilhada pela polícia, que disse que o prédio sofreu "danos substanciais".

Comoção nacional

A morte de Breonna Taylor atraiu indignação generalizada e o interesse por seu caso cresceu depois que o assassinato policial de George Floyd em 25 de maio ecoou o movimento "Black Lives Matter".

Celebridades como Beyoncé, Jennifer Lawrence, Oprah Winfrey, Viola Davis e Alicia Keys se manifestaram publicamente em torno do caso e pediram que os policiais fossem acusados.

*Com informações da AFP e Reuters

Internacional