PUBLICIDADE
Topo

Eleições Americanas

Esse conteúdo é antigo

Secretário diz achar 'muito improvável' recontagem de votos em Minnesota

Em Minnesota, cédulas recebidas pelo Colégio Eleitoral após determinado horário serão computadas separadamente - Hill Street Studios/Getty Images
Em Minnesota, cédulas recebidas pelo Colégio Eleitoral após determinado horário serão computadas separadamente Imagem: Hill Street Studios/Getty Images

Do UOL, em São Paulo

04/11/2020 17h03

O secretário do Minnesota, Steve Simon, declarou na tarde de hoje que acha "muito improvável" a possibilidade de recontagem de votos no estado nas eleições dos EUA. Ele justificou a fala, dizendo que a margem de diferença entre os votos direcionados a Donald Trump e Joe Biden é "substancial o suficiente".

Em entrevista coletiva concedida nesta tarde, ele declarou que cerca de 240.000 cédulas pedidas por eleitores ainda não foram recebidas pela contagem, mas que os números provavelmente representam menos do que a quantidade real de abstenções ou mesmo a possibilidade de extravio.

Segundo Simon, a quantidade pode incluir pessoas que pediram para votar por correio e decidiram, depois, votar pessoalmente ou mesmo não votar.

No estado, todos os votos recebidos — mesmo por correio — após às 20h (horário local) de ontem foram separados do restante das cédulas. Eles serão acrescentados à contagem final, embora sejam contabilizados à parte.

Minnesota possui uma das maiores taxas de participação em eleições presidenciais e também é um dos que apresenta maior preferência por candidatos democratas.

Até às 16h50, o democrata Joe Biden lidera a contagem no estado por 230.000 votos.

Desde 1976, Minnesota tem garantido os 10 votos do estado no Colégio Eleitoral, que define o vencedor da eleição, aos candidatos do partido Democrata.

Os Estados Unidos não têm um órgão oficial que divulga, em tempo real, os resultados das urnas, como o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) no Brasil. Por isso, as agências de notícias e veículos de comunicação como AFP, AP e Fox fazem extrapolações estatísticas e apontam os vencedores por estado. A AFP chegou a considerar definida a apuração do Arizona — e Joe Biden somava mais 11 votos até a manhã desta quinta-feira (5). A contagem de votos continua no estado.

Trump pede recontagem em dois estados

A campanha do presidente Donald Trump, que busca a reeleição nos Estados Unidos, anunciou hoje que pedirá recontagem de votos nos estados de Wisconsin e Michigan, onde Joe Biden lidera a apuração com ligeira vantagem de votos.

No primeiro, a vitória do democrata foi confirmada pela Associated Press por volta das 16h20 (horário de Brasília), por 49,4% a 48,8%.

Como a diferença entre Biden e Trump é menor que um ponto percentual, o presidente pode pedir uma recontagem de votos.

Os questionamentos quanto à contagem dos votos tiveram início já na madrugada de hoje. Trump chegou a fazer um pronunciamento na Casa Branca e se autodeclarar vencedor das eleições, embora ainda não houvesse confirmação. Ele também disse que recorreria à Suprema Corte para interromper a contagem de votos.

Eleições Americanas