PUBLICIDADE
Topo

Eleições Americanas

Esse conteúdo é antigo

Serviço Secreto envia agentes para reforçar segurança de Biden, diz jornal

23.out.2020 - Joe Biden, candidato democrata à presidência dos EUA, discursa em comício em Wilmington, Delaware - Drew Angerer/Getty Images
23.out.2020 - Joe Biden, candidato democrata à presidência dos EUA, discursa em comício em Wilmington, Delaware Imagem: Drew Angerer/Getty Images

Do UOL, em São Paulo

06/11/2020 09h45Atualizada em 06/11/2020 10h19

O Serviço Secreto dos Estados Unidos, agência responsável pela segurança do presidente —e de candidatos durante as eleições—, enviou agentes para reforçar a proteção ao candidato democrata Joe Biden, de acordo com o jornal "Washington Post".

ACOMPANHE A APURAÇÃO EM TEMPO REAL

Os agentes teriam sido enviados para Wilmington, no estado de Delaware, onde a campanha de Biden planeja um discurso da vitória ainda hoje, caso a contagem dos votos confirmem a vitória do democrata.

Na manhã de hoje, Biden conseguiu uma virada sobre o presidente Donald Trump na apuração dos votos na Geórgia, estado-chave nas eleições americanas. Se vencer por lá, ficará muito próximo de derrotar Trump.

O democrata lidera a contagem até agora com 253 delegados contra 214 de Trump —no sistema americano, o que valem são os delegados eleitorais de cada estado, e não o número bruto de votos obtidos. Para vencer, um candidato precisa chegar a 270.

De acordo com o "Washington Post", Biden já conta com a proteção de dezenas de agentes, que deve ter o incremento dos novos agentes ainda hoje. Ainda não está claro se o Serviço Secreto enviará mais agentes caso o democrata seja declarado o novo presidente dos Estados Unidos.

Biden tem ido a um centro de convenções em Wilmington para fazer seus discursos e planeja declarar sua vitória no local.

Oficialmente, o Serviço Secreto não divulga seus planos e a campanha de Biden não quis fazer comentários ao jornal, que credita a informação a duas fontes com conhecimento do assunto.

Eleições Americanas