PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Biden indica primeira mulher para comandar o Departamento do Tesouro

Equipe do democrata também anunciou outras mudanças, que incluem Wally Adeyemo como vice-secretário do Tesouro - Saul Loeb/AFP
Equipe do democrata também anunciou outras mudanças, que incluem Wally Adeyemo como vice-secretário do Tesouro Imagem: Saul Loeb/AFP

Do UOL, em São Paulo *

30/11/2020 13h37

O presidente recém-eleito dos Estados Unidos, o democrata Joe Biden, anunciou hoje a ex-presidente do FED (Federal Reserve) Janet Yellen como secretária do Tesouro.

"Janet Yellen é indicada para ser secretária do Tesouro. Se confirmada, será a primeira mulher a comandar o Departamento do Tesouro em seus 231 anos de história", declarou a equipe de transição de Biden.

Após ser anunciada na equipe de Biden, Yellen escreveu em seu perfil no Twitter que os Estados Unidos enfrentam "grandes desafios como país".

"Para nos recuperarmos, devemos restaurar o sonho americano - uma sociedade onde cada pessoa pode atingir seu potencial e sonhar ainda mais alto para seus filhos", afirmou Yellen. "Como secretária do Tesouro, trabalharei todos os dias para reconstruir esse sonho para todos", acrescentou.

Yellen foi presidente do Fed entre 2014 e 2018 e atuou na formulação de políticas para mitigar os impactos da crise financeira de 2008. No final dos anos 1990, foi a principal conselheira econômica do então presidente Bill Clinton durante a crise financeira da Ásia.

Além de Yellen, a equipe de Biden anunciou:

  • Wally Adeyemo como vice-secretário do Tesouro;
  • Neera Tanden como diretora do Escritório de Gerenciamento e Orçamento;
  • Jared Bernstein e Heather Boushey como membros do Conselho de Consultores Econômicos;
  • e Cecilia Rouse, que será indicada para o comando do Conselho de Assessores Econômicos.

A transição de poder entre Biden e Donald Trump foi prejudicada durante semanas pelo republicano, que se recusa a admitir a derrota alegando, sem provas, que a vitória eleitoral do democrata no dia 3 de novembro ocorreu por meio de fraudes.

Contrastando com Trump, que escolheu uma maioria de homens brancos para posições centrais, as primeiras indicações de Biden apontaram para uma grande diversidade, incluindo uma equipe de comunicação exclusivamente feminina apresentada na noite de domingo.

Biden e a vice-presidente recém-eleita, Kamala Harris, também devem receber hoje seu primeiro informe confidencial de inteligência diário, que o governo Trump vinha se recusando a fornecer. O informe é o primeiro passo para a transferência de responsabilidade das informações de inteligência mais delicadas a uma nova gestão.

Trump, por sua vez, manteve suas alegações infundadas de fraude eleitoral em uma entrevista à Fox News concedida ontem e com tuítes publicados no último fim de semana.

O presidente republicano, porém, disse na quinta-feira que sairá da Casa Branca se Biden for declarado vencedor formalmente pelo Colégio Eleitoral no dia 14 de dezembro.

* Com informações da AFP, da Estadão Conteúdo e da Reuters

Internacional