PUBLICIDADE
Topo

Eleições Americanas

Conteúdo publicado há
1 mês

Republicanos criticam Trump por 'tentativa de golpe' e pedem fim de atos

Do UOL, em São Paulo

06/01/2021 16h58Atualizada em 06/01/2021 19h10

Políticos do partido Republicano, o mesmo do presidente Donald Trump, criticaram a postura do presidente dos Estados Unidos por se recusar a aceitar o resultado da eleição do democrata Joe Biden e estimular protestos em Washington DC. Na tarde de hoje, manifestantes trumpistas invadiram o Capitólio — onde fica o Congresso americano — e interromperam a sessão que certificaria a eleição de Biden.

O deputado republicano Adam Kinzinger disse que os protestos, que acabaram em tumulto e confronto, seriam uma tentativa de golpe no país.

"Esta é uma tentativa de golpe", escreveu ele, nas redes sociais.

A sessão da tarde de hoje era presidida pelo vice-presidente Mike Pence. Pressionado por Trump para pedir a recontagem de votos nos estados, Pence divulgou um comunicado mais cedo afirmando que defenderá a Constituição e que não impedirá a certificação da vitória de Biden na eleição de 2020.

Em resposta, Trump publicou no Twitter que Pence não teve coragem "para fazer o que deveria ter sido feito".

Nos protestos de hoje, dois prédios do Capitólio, foram evacuados por uma suposta ameaça de bomba, segundo informações da Fox News. Vários pacotes suspeitos foram encontrados pela polícia em volta do Cannon House Office e da Madison Library of Congress Building. Pouco depois, manifestantes invadiram o complexo.

Congressistas saíram às pressas do local, incluindo o vice Mike Pence, retirado por seguranças. Em função do tumulto, a prefeita de Washington, DC, Muriel Bowser, decretou toque de recolher a partir das 18h (hora local, 20h em Brasília) na cidade, válido até as 18h de amanhã.

Nas redes sociais, a republicana Nancy Mace compartilhou um vídeo de manifestantes em confronto com a polícia do Capitólio. "Isto está errado. Não somos assim. Estou com o coração partido por nossa nação hoje".

Deputado republicano, militar pede que Trump 'dê fim' a protestos

Em entrevista à CNN, o deputado republicano e apoiador de Trump, Mike Gallagher, afirmou que a situação em Washington é "insana".

Militar, ele comparou a situação no Congresso à guerra do Iraque: "Não via nada parecido desde que estive no Iraque em 2007 e 2008", declarou ele à emissora.

"O presidente precisa pedir que isso acabe. Dê fim a isso. Acabou. A eleição acabou e os opositores precisam parar de enfrentar nossas forças de segurança, nossa democracia", disse Gallagher.

'Trump causou isso'

O senador Mitt Romney, um dos maiores críticos de Trump dentro do partido Republicano, afirmou que o tumulto em Washington DC foi provocado pelo presidente norte-americano.

"Foi o presidente quem causou isso, essa insurreição", disse ao New York Times.

Romney estava no Congresso e também foi retirado por seguranças. Segundo o jornal ele foi levado para um local seguro. O senador travou com Trump disputa interna no partido para ser o candidato republicano na eleição de 2020.

No dia 5 de novembro, o deputado republicano Adam Kinzinger já havia feito referência indiretamente à fala de Trump sobre votos legais para criticar a divulgação de notícias falsas.

"Queremos que todos os votos sejam contados, sim, todos os votos legais (é claro). Mas, se houver dúvidas legítimas sobre fraude, apresente evidências e leve-as ao tribunal. Pare de espalhar desinformação que já foi desmentida... Isso está ficando insano", escreveu o político, eleito pelo Estado de Illinois.

Eleições Americanas