PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Invasão ao Capitólio: Manifestante pede que Trump conceda perdão a ela

Jenna Ryan, apoiadora do presidente Donald Trump que foi detida após invasão ao Capitólio - Reprodução/Youtube/CBSDFW
Jenna Ryan, apoiadora do presidente Donald Trump que foi detida após invasão ao Capitólio Imagem: Reprodução/Youtube/CBSDFW

Do UOL, em São Paulo

17/01/2021 11h37

A corretora de imóveis Jenna Ryan, vista em fotos e vídeos no Capitólio americano no dia da invasão, em dia 6 de janeiro, disse que gostaria que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, concedesse perdão a ela, alegando que ela estava apenas "seguindo seu presidente".

O Capitólio, como é conhecido o Congresso americano, foi invadido por manifestantes apoiadores de Trump durante a sessão que certificaria Joe Biden como presidente. Momentos antes da invasão, o presidente havia insuflado seus apoiadores a se manifestarem contra a proclamação da vitória Biden com um discurso na capital americana.

Ryan assim como outros manifestantes foi detida pelo FBI após o episódio. "Foi uma experiência muito estranha ser presa pelo FBI", disse ela em entrevista à CBS 11.

A corretora que pegou um avião particular para Washington no dia do protesto enfrenta acusações de entrar ou permanecer intencionalmente em um prédio ou terreno restrito sem autoridade legal e conduta desordeira.

"Eu só quero que as pessoas saibam que sou uma pessoa normal. Que eu escutei meu presidente, que me disse para ir ao Capitólio. Que eu estava exibindo meu patriotismo enquanto estava lá e estava apenas protestando e não estava tentando fazer nada violento e não percebi que realmente havia violência", disse Ryan. Ao menos cinco pessoas morreram em decorrência do caso.

"Eu só gostaria de me desculpar por todas as famílias que são afetadas por qualquer ambiente negativo e gostaria apenas de dizer que realmente amo as pessoas e não sou um vilão que muitas pessoas me julgariam ser, ou as pessoas pensam que eu sou, porque eu era uma apoiadora de Trump no Capitólio. "

Ryan disse que gostaria que o presidente concedesse um perdão a ela e aos demais manifestantes. O republicano deixa o cargo no dia 20 de janeiro. "Eu acho que todos nós merecemos um perdão. Estou enfrentando uma sentença de prisão. Acho que não mereço isso e pelo que entendi, vão ser presas todas as pessoas que lá estiveram, por isso acho que todos merecem um perdão, por isso peço ao presidente dos Estados Unidos que me perdoe", afirmou.

Não sinto vergonha ou culpa de coração. Eu sinto que basicamente estava seguindo meu presidente. Eu estava seguindo o que fomos chamados a fazer. Ele nos pediu para voar para lá. Ele nos pediu para estar lá. Então, eu estava fazendo o que ele nos pediu para fazer Jenna Ryan

Os Estados Unidos abriram investigações criminais contra mais de 170 pessoas que invadiram o Capitólio e planejam apresentar acusações contra alguns dos invasores por crimes de agressão e conspiração sediciosa pelo episódio de violência, anunciou um procurador federal na última terça-feira (12).

O procurador federal de Washington em exercício Michael Sherwin disse que seu gabinete espera que centenas de pessoas sejam indiciadas, uma vez que o FBI revisa mais de 100 mil fotos e vídeos do episódio — alguns deles feitos pelos próprios participantes enquanto estilhaçavam janelas e roubavam itens.

Internacional