PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
3 meses

Duas explosões nos arredores do aeroporto de Cabul deixam mortos e feridos

Fábio Regula e Thaís Augusto

Do UOL, em São Paulo*

26/08/2021 11h01Atualizada em 26/08/2021 17h20

Duas explosões nos arredores do Aeroporto Internacional de Cabul, no Afeganistão, deixaram ao menos 72 mortos e 140 feridos em meio à retirada de afegãos e estrangeiros após o Talibã tomar controle do país. A informação foi confirmada pelo secretário de imprensa do Pentágono, John Kirby.

O Pentágono confirmou que os ataques deixaram 12 militares americanos mortos e 15 feridos. As informações sobre mortos e feridos foram confirmadas por um funcionário de Saúde Pública afegão à CNN.

Pelo menos 60 pessoas estão sendo atendidas no Centro Cirúrgico de Cabul com ferimentos.

"Podemos confirmar que a explosão no portão Gate foi o resultado de um ataque complexo que resultou em várias vítimas americanas e civis. Podemos também confirmar pelo menos uma outra explosão no Baron Hotel ou próximo a ele, a uma curta distância do portão Abbey", disse Kirby em comunicado publicado no Twitter.

Nas redes sociais, o porta-voz do Talibã, Zabihullah Mujahid, condenou os ataques: "O Emirado Islâmico está prestando muita atenção à segurança e proteção de seu povo. Os círculos malignos serão interrompidos".

Otan fala em "terrorismo"

Secretário-geral da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), Jens Stoltenberg classificou as explosões em Cabul como um "ataque terrorista".

"Condeno fortemente o terrível ataque terrorista ocorrido do lado de fora do aeroporto de Cabul. Meus pensamentos estão com todos os afetados e seus entes queridos. Nossa prioridade continua sendo evacuar o maior número de pessoas em segurança e o mais rápido possível", publicou ele em uma rede social.

Suspeita de ataque suicida

O jornal The Jerusalem Post afirmou que a investigação inicial aponta para um ataque suicida com bomba. Diplomatas ocidentais ainda na cidade também disseram a agências de notícias que acreditam nesta possibilidade como a mais provável.

Segundo informações preliminares, a explosão ocorreu próxima do portão "Abbey", em uma área onde os civis afegãos têm seus documentos analisados. Esse local é onde ficam, majoritariamente, as tropas do Reino Unido.

Explosão ocorreu próximo do Abbey Gate, segundo Sky News - Sky News/Reprodução - Sky News/Reprodução
Explosão ocorreu próximo do Abbey Gate, segundo Sky News
Imagem: Sky News/Reprodução

O Ministério da Defesa do Reino Unido afirmou que não há relatos, até o momento, da morte de militares ou de membros do governo.

Preocupação se intensifica

A confirmação de uma explosão na área externa do aeroporto de Cabul ocorre em meio a um temor manifestado por países como Reino Unido, Austrália e Estados Unidos com a possibilidade de um atentado no local.

Nas últimas horas, os três países aconselharam seus cidadãos a deixarem urgentemente a região do aeroporto, onde milhares de pessoas ainda se aglomeram na região na expectativa de sair do Afeganistão até 31 de agosto.

O secretário britânico encarregado das Forças Armadas, James Heappey, foi o mais enfático, dizendo que a ameaça era "séria e iminente". Já os Estados Unidos pediram que os americanos deixassem "imediatamente" a área.

Na semana passada, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, advertiu os talibãs a não interromperem nem ameaçarem a evacuação dos milhares de diplomatas americanos e tradutores afegãos.

A resposta a qualquer ataque seria "rápida e contundente", afirmou Biden.

O aeroporto de Cabul tem sido uma área muito movimentada nos últimos 11 dias, desde que o Talibã tomou o poder do país. As forças militares norte-americanas estimam que um avião decola de Cabul a cada 39 minutos com pessoas fugindo do grupo extremista.

Uma repórter da Al Jazeera que está na capital afegã disse que há cerca de 1,5 mil cidadãos com passaporte americano tentando escapar do país tomado pelo Talibã.

Biden é informado de explosão

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, foi informado sobre a explosão, de acordo com uma autoridade da Casa Branca. Biden estava em uma reunião com autoridades de segurança sobre a situação no Afeganistão, onde os EUA estão nos estágios finais de encerrar uma guerra de 20 anos, quando a explosão foi inicialmente relatada, de acordo com uma pessoa familiarizada com a situação.

Não há indicação de que Joe Biden planeja adiar o prazo de retirada de 31 de agosto. Outra fonte afirma que autoridades americanas acreditam que o Estado Islâmico-Khorasan, braço regional do grupo, está por trás do ataque.

Biden falou recentemente sobre a possibilidade de um atentado no Afeganistão. "A cada dia, as operações suscitam um risco suplementar para nossas tropas", disse há dois dias, evocando a probabilidade de um ataque por parte do grupo Estado Islâmico em Cabul. "O inimigo número 1 dos talibãs visa o aeroporto para atacar as forças americanas e aliadas, bem como civis inocentes", reiterou.

Situação do país

Desde a tomada de poder, o Talibã tem feito promessas de que preservará a vida de opositores e não executará planos de vingança, além de soltar mensagens sobre paz. No entanto, civis, diplomatas, jornalistas e ativistas de direitos humanos têm fugido do Afeganistão.

Isso vem gerando confusão no aeroporto de Cabul e resultado em imagens que demonstram o desespero dos cidadãos que não estão conseguindo evacuar o país, como cenas de pessoas penduradas em aviões decolando.

O Talibã deu até o dia 31 de agosto para as nações ocidentais removerem suas tropas do território.

*Com informações das agências AFP e Ansa, Reuters e RFI.

Internacional