PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
5 meses

Funcionários da ONU têm sido agredidos pelo Talibã, diz documento

17.ago.2021 - Membros do Talibã circulam armados por uma área de comércio popular em Cabul, no Afeganistão - Hoshang Hashimi/AFP
17.ago.2021 - Membros do Talibã circulam armados por uma área de comércio popular em Cabul, no Afeganistão Imagem: Hoshang Hashimi/AFP

Colaboração para o UOL

26/08/2021 07h32

Dezenas de funcionários da ONU (Organização das Nações Unidas) têm sido vítimas de intimidações e até agressões físicas do Talibã, grupo extremista que tomou o poder do Afeganistão esse mês. A denúncia foi feita pela Reuters ao ter acesso a um documento interno da ONU que relata os acontecimentos.

Segundo o texto, um trabalhador afegão foi parado a caminho do aeroporto da capital Cabul no último domingo. O grupo teria revistado o veículo, encontrado o crachá da ONU e espancado o homem.

Na segunda-feira, o Talibã teria ido até a casa de outro funcionário da organização, perguntado para o filho sobre o paradeiro dele e ainda teria o acusado de mentir. "Sabemos o que ele faz", teriam dito, de acordo com o documento acessado pela Reuters.

Além desses casos, outras dezenas de situações parecidas foram relatadas para a ONU desde o dia 10 de agosto. O grupo extremista não quis comentar sobre a denúncia, mas disse que faria uma investigação interna e pediu que as ONGs (Organizações Não Governamentais) continuem o trabalho.

A ONU também se recusou a responder à Reuters sobre o documento, falando apenas que há contato entre a organização e o grupo extremista para garantir a segurança dos funcionários da área. Dos 300 trabalhadores estrangeiros, cerca de 100 foram realocados do Afeganistão para o Cazaquistão.

Situação do país

Desde a tomada de poder, o Talibã tem feito promessas de que preservará a vida de opositores e não executará planos de vingança, além de soltar mensagens sobre paz. No entanto, civis, diplomatas, jornalistas e ativistas de direitos humanos têm fugido do Afeganistão.

Isso vem gerando confusão no aeroporto de Cabul e resultado em imagens que demonstram o desespero dos cidadãos que não estão conseguindo evacuar o país, como cenas de pessoas penduradas em aviões decolando.

O Talibã deu até o dia 31 de agosto para as nações ocidentais removerem suas tropas do território. Hoje de manhã, representantes de alguns desses países alertaram para a possibilidade de um atentado no aeroporto de Cabul.

Internacional