PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
15 dias

'Te amo, mãe': Homem volta a falar 6 meses após ser dado com morte cerebral

Lewis havia sido declarado morto segundo os protocolos do serviço nacional de saúde do Reino Unido  - Reprodução/Redes Sociais
Lewis havia sido declarado morto segundo os protocolos do serviço nacional de saúde do Reino Unido Imagem: Reprodução/Redes Sociais

Colaboração para o UOL, em Santos

28/09/2021 13h06

Um jovem de 18 anos voltou a falar seis meses após ter sido diagnosticado com morte cerebral, na Inglaterra. Lewis Roberts, que mora na cidade de Leek, no condado de Staffordshire, foi atropelado por uma van em março, o que resultou em graves ferimentos na cabeça.

O acidente ocorreu no dia 13 de março. Lewis foi levado às pressas para o Hospital da Universidade Royal Stoke, onde médicos disseram que ele havia sofrido morte cerebral - referindo-se à situação em que uma pessoa passa a depender de uma máquina artificial de suporte de vida por não ter mais funções cerebrais.

No Reino Unido, quando alguém é diagnosticado com morte cerebral, o dano é considerado irreversível e a morte é legalmente confirmada, de acordo com o NHS (National Health Service).

A família do jovem foi orientada a se despedir e decidiu doar seus órgãos para ajudar outras sete pessoas, o que lhe deu mais tempo ligado aos equipamentos de suporte de vida.

Porém, poucas horas antes da cirurgia, em 18 de março, o adolescente abriu os olhos e começou a respirar sem o auxílio dos aparelhos. Ele então permaneceu internado, com seu estado ainda considerado grave, mas, no final de semana passado, ele conseguiu falar pela primeira vez desde o acidente. "Mãe, eu te amo. Você é a melhor mãe do mundo".

"É difícil colocar em palavras as emoções que sentimos. Foi incrível, maravilhoso", escreveu a irmã de Lewis, Kimberly Roberts, em um texto publicado no site gofundme, para divulgar uma vaquinha virtual em nome do irmão.

"Um milagre que qualquer família poderia desejar depois de ouvir que ele tinha zero chances de sobreviver. Mas ele começou a reagir aos testes de dor, movendo os membros por conta própria e também movendo a cabeça de um lado para o outro, piscando e também movendo a boca. A cada dia ele está ficando mais forte".

As visitas dos parentes ao hospital foram interrompidas recentemente, devido a um caso positivo de coronavírus em sua enfermaria. Mas, mesmo sem poder visitá-lo, a família está otimista.

"Lewis está progredindo a cada dia. Ele agora está ouvindo comandos, aperta e solta a nossa mão quando solicitado. Estamos muito orgulhosos de Lewis", conclui a irmã, no texto.

Internacional