PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Turista é atacada por crocodilo, e amigo a salva dando socos no réptil

Amelie Osborn-Smith, de 18 anos, foi vítima de ataque de crocodilo durante viagem à Zâmbia  - Reprodução/Redes Sociais
Amelie Osborn-Smith, de 18 anos, foi vítima de ataque de crocodilo durante viagem à Zâmbia Imagem: Reprodução/Redes Sociais

Colaboração para o UOL

03/12/2021 14h40Atualizada em 04/12/2021 09h13

Uma adolescente britânica foi atacada por um crocodilo enquanto viajava com amigos na Zâmbia, no sul da África. Amelie Osborn-Smith, de 18 anos, estava praticando rafting no Rio Zambeze, próximo às Cataratas Vitória, quando o réptil se lançou sobre ela. Mas, foi salva por seu amigo, que a defendeu do animal com socos.

Enquanto descansava em cima de um barco, Amelie foi surpreendida por um crocodilo de 3 metros de comprimento que prendeu as mandíbulas em uma de suas pernas e a puxou, em seguida, fazendo-a girar sob a água a fim de dominá-la. Rapidamente, o amigo de Amelie mergulhou no rio e desferiu fortes golpes contra o nariz do crocodilo, que após um longo tempo libertou a jovem de seus dentes.

Em entrevista ao The Sun, uma das testemunhas do ataque descreveu o momento de terror: "Quando ela foi puxada para água, os outros entraram para ajudar. Havia sangue e pessoas se debatendo por toda parte. Ela tem sorte em estar viva".

Após o incidente, a garota foi levada de avião para o hospital em Lusaka, capital do país, a cerca de 380 km de distância do local do ataque, onde está sendo tratada por ferimentos graves na perna.

O pai de Amelie, Brent Osborn-Smith, contou em entrevista ao DailyMail mais detalhes do episódio. "Ela não estava nadando de verdade, mas apenas sentada no barco e o crocodilo viu sua perna balançando na água e enxergou aquilo como um alimento".

"O quadro dela ainda é muito ruim na Zâmbia e estamos fazendo o nosso melhor para tentar trazê-la de volta ao Reino Unido para receber cuidados adequados, mas obviamente com uma mordida de crocodilo há um grande risco de infecção e ela tem uma perna gravemente ferida. É uma situação bastante angustiante", disse ele

Osborn-Smith também afirmou que como a Zâmbia está na lista vermelha dos países com elevados casos de Covid-19, há novos desafios para levar sua filha de volta para casa.

A Bundu Rafting, empresa com a qual Amelie estava passeando pelo rio Zambeze, declarou que opera na região desde 1996 e até então nunca houve situações nas quais os turistas estivessem em risco de vida com possível ataque de crocodilo.

Ataques anteriores

Estendendo-se por mais de 1.500 milhas, o rio Zambeze é apontado um paraíso para turistas que gostam de esportes aquáticos e de observar a natureza e a paisagem ao redor. No entanto, nas profundezas daquelas águas está presente o crocodilo do Nilo, considerado o predador mais mortal da região.

O notório réptil também é conhecido por incluir seres humanos entre as suas presas, o que justifica a sua responsabilidade por centenas de mortes todos os anos no local. Além de turistas que perderam membros após serem atacados.

Em 2018, uma mulher que fazia canoagem acima das Cataratas Vitória, no Zimbábue, com o noivo teve o braço arrancado por um crocodilo gigante.

Zanele Ndlovu e Jamie Fox, do sudeste da Inglaterra, estavam em uma jangada inflável quando o réptil atacou e danificou a embarcação. Zanele caiu na água e seu braço direito foi arrancado acima do cotovelo, poucos dias antes de seu casamento.

Ela foi levada ao hospital, onde os médicos salvaram sua vida, e ela se casou na capela do hospital no mês seguinte.

Internacional