PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
3 meses

Ucrânia começa a treinar estudantes contra ameaças de bombas em escolas

Agentes de segurança da Ucrânia organizaram o treinamento após uma série de ameaças falsas de bomba forçarem a desocupação de escolas da capital Kiev, e em outras cidades - REUTERS/Valentyn Ogirenko
Agentes de segurança da Ucrânia organizaram o treinamento após uma série de ameaças falsas de bomba forçarem a desocupação de escolas da capital Kiev, e em outras cidades Imagem: REUTERS/Valentyn Ogirenko

Do UOL, em São Paulo

28/01/2022 15h11Atualizada em 28/01/2022 15h11

A Ucrânia começou a treinar estudantes contra ameaças de bombas em escolas em meio à escalada de tensão causada pela presença de tropas da Rússia na fronteira com o país.

A medida foi tomada pelo governo ucraniano após os serviços de segurança registrarem, somente em janeiro, mais de 300 ameaças de artefatos explosivos.

Em comparação com o ano passado inteiro, o número registrado representa um terço das ocorrências de 2021, quando as ameaças foram 1.100. Autoridades da Ucrânia culpam a Rússia pelos episódios, dizendo que eles são "parte de uma guerra híbrida".

A Rússia, por outro lado, afirma que a culpa é do país vizinho, que fez os russos passarem por situação semelhante ao serem obrigados a evacuarem escolas, shopping centers e jardins de infância.

Nos treinamentos realizados na Ucrânia, os estudantes são colocados frente à frente com bombas falsas, mas que foram coletadas em situações reais em que estabelecimentos precisaram ser evacuados.

Os treinos ocorrem com a simulação de situações em que explosivos foram colocados em bichos de pelúcia, por exemplo. Enquanto os jovens examinam o objeto, um oficial ucraniano explica detalhes de quantas pessoas poderiam ser mortas pela bomba e qual o raio de alcance do artefato.

As aulas também incluem a exibição de vídeos, nos quais as crianças podem ver a capacidade de dano das bombas, e simulações de toques de recolher.

Internacional