Conteúdo publicado há 3 meses

Embaixador: Há boa chance de brasileiros serem liberados de Gaza até sexta

O embaixador do Brasil na Palestina, Alessandro Candeas, afirmou que "há boas chances" de os brasileiros que estão na Faixa de Gaza serem liberados até sexta-feira (3). Em entrevista ao UOL News da manhã de hoje (1º), o diplomata alertou que a crise humanitária na região deve se agravar nos próximos dias.

Recebi uma mensagem do Paulino [Neto, embaixador do Brasil no Cairo (EGI)] dizendo que há uma boa chance de os brasileiros serem autorizados a sair amanhã ou depois de amanhã. Estamos com essa expectativa, e os brasileiros de Gaza mais ainda. O desespero é idêntico em todos os níveis e queremos que eles saiam o mais rápido possível. A crise humanitária, que já é grave, vai se intensificar. Alessandro Candeas, embaixador do Brasil na Palestina

Candeas explicou que o Brasil não é o único país com cidadãos fora da primeira lista de estrangeiros autorizados a deixar a Faixa de Gaza. O embaixador disse que está em negociações para agilizar a saída dos brasileiros e que eles sejam incluídos já na próxima relação.

O Brasil continua com gestões de alto nível, como fizemos desde o início deste conflito, junto a Israel, Egito, Qatar e outros atores para que os brasileiros estejam na próxima lista.

Fizemos contatos aqui e tivemos a informação de que as autoridades de segurança de Israel já indicaram que outras listas virão, com nacionais de outros países. Essa é apenas a primeira lista, e uma boa notícia porque [a fronteira em Rafah] estava fechada havia mais de três semanas. Há entre 30 e 40 nacionalidades que estão na mesma posição dos brasileiros em Gaza.

Em conversa com os brasileiros que aguardam a liberação para cruzar a fronteira de Rafah, Candeas falou sobre a situação desesperadora na região.

Ninguém aguenta um dia a mais em Gaza. Nesta semana, eles tiveram problemas de irritação nos olhos por causa do ar contaminado pelo bombardeio. Há até denúncias de uso de fósforo branco, amarelo. O ar está irrespirável em Gaza.

Brasileiros não dependem da ONU ou da Cruz Vermelha para obter comida, diz embaixador

Alessandro Candeas tranquilizou os parentes e amigos dos brasileiros que estão na Faixa de Gaza e aguardam a liberação para sair dali. O embaixador disse que, apesar da situação caótica na região, eles estão em boas condições e recebendo toda a assistência necessária da diplomacia nacional.

Continua após a publicidade

Estamos falando de uma zona de guerra, que está em crise humanitária. É importante ficar claro que os brasileiros não dependem dos abrigos e nem dos depósitos de comida da ONU, nem da Cruz Vermelha. Eles fazem compra no mercado local, que ainda está de pé. Às vezes, eles vão a outra cidade Alessandro Candeas, embaixador do Brasil na Palestina

Tales: É evidente que Israel não gostou das tentativas do Brasil na ONU

O papel pacificador do Brasil no Conselho de Segurança da ONU não agradou a Israel, o que pode ter interferido na ausência de brasileiros na lista dos primeiros estrangeiros autorizados a deixar a Faixa de Gaza pela fronteira com o Egito. A análise é do colunista Tales Faria.

É possível que isso esteja ocorrendo porque Biden concorreu com o Brasil em protagonismo na ONU. Não há boa vontade do Biden, assim como Israel não gostou da posição pacificadora do Brasil na ONU. Tales Faria, colunista do UOL

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes