'Foi uma conversa entre amigos', diz Bolsonaro após encontro com Milei

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) se reuniu hoje o presidente eleito da Argentina, Javier Milei. "Foi uma conversa entre amigos", disse o brasileiro ao sair do encontro.

O que aconteceu

Bolsonaro está em Buenos Aires para participar da posse de Milei, que será no domingo (10). Um vídeo publicado nas redes sociais mostra ambos juntos — eles estão acompanhados do presidente do PL, Valdemar Costa Neto, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PL-SP), o senador Ciro Nogueira (PP-PI) e o advogado Fabio Wajngarten.

A ex-candidata à Presidência da Argentina Patricia Bullrich tabém estava no encontro reseravdo. Ela foi indicada por Milei para assumir a pasta da Segurança — os novos minsitros tomarão posse nna tarde de domingo na Casa Rosada,

Antes da reunião, Bolsonaro deu entrevista a uma rádio e contou com a ajuda de Eduardo na tradução. Ele criticou Lula e a indicação de Dino ao STF e voltou a dizer que não tem envolvimento com os atos golpistas de 8 de janeiro.

O ex-presidente embarcou ontem com ex-primeira-dama Michelle para a capital argentina. Vídeos compartilhados em perfis bolsonaristas nas redes sociais mostram Bolsonaro cumprimentando e tirando fotos com funcionários do Aeroporto de Brasília e dentro conversando com apoiadores.

O que disse Bolsonaro

[Milei] fez um breve retrato do que vive a Argentina no momento. A questão mais importante é a economia, todo mundo sabe disso. A escola dele e austríaca. A de Paulo Guedes é uma outra, é de Chicago, tem os mesmos objetivos. Ele vai ter que tomar medidas rápidas. Tem uma hiperinflação no horizonte, ele pretende conter obviamente isso daí.

O número de delegações é muito grande, que ele [Milei] vai receber no domingo. É um sinal de que a Argentina é um país muito importante para o mundo. Além da questão ideológica que o mundo vai se polarizando. A esquerda quer a união pelo poder, nós queremos a união pelo bem-estar de sua população. E respeitando obviamente a autonomia de cada país. Basicamente é isso que nós conversamos, com muitas amenidades.

Continua após a publicidade

Ele está pegando um país, economicamente levando em conta as devidas proporções, com a situação mais crítica que o Brasil. Mas ele tem esperança com o time que está formando de realmente encontrar um plano de inflexão da Argentina ser um país politicamente reconhecido no mundo todo.

Quem acompanha Bolsonaro

Bolsonaro é acompanhado por uma comitiva de deputados estaduais, federais, senadores e governadores, entre eles Tarcísio de Freitas (Republicanos-SP), Cláudio Castro (PL-RJ), Ronaldo Caiado (União-GO) e Jorginho Mello (PL-SC).

"Não é uma delegação", afirmou o ex-presidente à imprensa argentina. "Aqui tenho quase 20 parlamentares que nos acompanharam por querer o bem da Argentina."

A viagem marca o retorno de Bolsonaro aum grande ato político desde que perdeu a eleição para Lula (PT), no ano passado, e foi condenado à inelegibilidade pelos próximos oito anos pelo TSE por abuso de poder político e econômico.

*Colaborou Uesley Durães, do UOL, em São Paulo

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes