Ministro de Milei vai anunciar medidas econômicas amanhã, diz porta-voz

O governo do novo presidente da Argentina, Javier Milei, vai anunciar amanhã (12) o seu pacote com as principais medidas econômicas. Milei teve a primeira reunião com o novo gabinete na Casa Rosada na manhã de hoje (11) — um dia após a posse.

O que aconteceu

Milei já anunciou que haverá um "forte ajuste fiscal". O presidente citou a medida em seu discurso de posse no domingo e o porta-voz Manuel Adorni também falou sobre isso em coletiva nesta segunda.

Adorni voltou a dizer que a Argentina está empobrecida e que não há dinheiro — citando o próprio discurso do novo presidente. Perguntado pela imprensa quando os argentinos poderão sentir melhora na economia e no bolso, o porta voz não soube precisar e afirmou que os primeiros meses seriam difíceis, mas necessários para colocar a economia em ordem.

Movimentos sociais e sindicatos já avisaram que haverá protestos e manifestações nas ruas se houver bloqueios e se o ajuste impactar os salários e a qualidade de vida dos argentinos. Milei, em seu discurso de posse, afirmou que os encargos cairão, a partir de agora, ao Estado e não ao setor privado.

Uma das promessas de Javier Milei é conter a inflação, que assola o país há décadas. Atualmente, a Argentina acumula 142% de inflação anual, 43% de pobreza e mais de 10% de indigência.

O novo presidente argentino pretende enviar ao Congresso Nacional ainda nesta semana um pacote de medidas consideradas urgentes. Devem estar incluídas a revisão de programas sociais, aposentadorias, privatização de empresas públicas e uma nova lei orçamentária.

Propostas urgentes para Milei e que não dependeriam do aval do Congresso como fim, a curto prazo (até abril), dos subsídios das tarifas públicas, liberação de preços de combustíveis e planos de saúde, além do aumento da taxa de exportação de 7% para 30% estão previstos, conforme noticiou há alguns dias a imprensa argentina.

O orçamento de 2024 foi definido em setembro deste ano pelo então ministro da Economia, o peronista Sergio Massa, que perdeu as eleições para Milei.

Milei tomou posse como presidente da Argentina no mesmo dia em que o país celebrou 40 anos da retomada da democracia.

Todos que contribuem para o país terão seus empregos garantidos e não devem se preocupar.

Continua após a publicidade

Amanhã, não sei precisar a hora, o novo ministro da economia Luís Caputo está comunicando as primeiras medidas econômicas do governo.
Manuel Adorni, porta-voz da Casa Rosada

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes