Conteúdo publicado há 3 meses

Porta-voz de Navalny diz que ele foi assassinado e pede liberação de corpo

A porta-voz do opositor Alexei Navalny, Kira Yarmish, afirmou neste sábado (17) que o ativista russo foi assassinado. Ontem, o Serviço Penitenciário Federal informou que ele passou mal após uma caminhada, "perdendo quase imediatamente a consciência".

O que aconteceu

Kira disse que o opositor morreu ontem, às 14h17, segundo mensagem oficial da mãe de Navalny. O comunicado da porta-voz foi publicado nas redes sociais.

"Exigimos que o corpo de Alexey Navalny seja entregue imediatamente à sua família", cobra a porta-voz. Segundo Kira, um funcionário teria dito que o corpo do opositor foi "recolhido por investigadores".

Mais tarde, ela afirmou que os advogados foram informados que a investigação foi concluída e que "nada criminoso" foi apurado. "Eles literalmente mentem toda vez, nos fazendo andar em círculos e encobrindo seus rastros", escreveu a porta-voz.

A versão do serviço penitenciário russo diz que após o opositor passar mal, médicos teriam tentado ressuscitá-lo por "mais de meia hora", mas sem sucesso. As informações são de agências de notícias russas.

Navalny cumpria uma sentença de 19 anos de prisão por "extremismo". Ele era o principal líder da oposição contra Putin há mais de uma década.

Ativista estava na colônia penal de Kharp, uma prisão próxima do Círculo Polar Ártico, onde as temperaturas podem chegar à -30 °C. Conhecida como "Lobo Polar", o local é considerado um dos mais duros na Rússia.

Há quatro anos, Navalny foi envenenado com um agente nervoso do grupo Novichok, considerado uma arma química. Ele ficou internado em um hospital em Berlim por um mês. A substância foi confirmada por laboratórios da Alemanha, França e Suécia. O governo russo negou qualquer envolvimento.

Deixe seu comentário

Só para assinantes