Conteúdo publicado há 4 meses

Opositor de Putin, Alexei Navalny morre na prisão aos 47 anos, diz Kremlin

O ativista russo Alexei Navalny, líder da oposição ao presidente Vladimir Putin, morreu na prisão hoje, aos 47 anos, segundo comunicado do serviço penitenciário federal da Rússia.

O que aconteceu

Navalny teria se sentido mal após uma caminhada e perdido a consciência "quase imediatamente", diz o texto. Ele teria sido levado ao hospital e médicos teriam tentado ressucitá-lo por "mais de meia hora", sem sucesso, segundo agências de notícias russas.

Porta-voz do governo da Rússia disse não ter informações sobre a causa da morte. Dmitry Peskov afirmou que o sistema penitenciário está fazendo "todas as verificações", e que Putin já foi informado.

Já a representante oficial de Navalny, Kira Yarmysh, publicou nas redes sociais que a morte ainda não foi confirmada. Ela disse que o advogado está a caminho da cidade onde Navalny estava preso, e que informará quando tiver atualizações.

Ativista estava em uma prisão próxima do Círculo Polar Ártico, onde as temperaturas podem chegar a -30 °C. Ele estava na colônia penal de Kharp, a quase 2 mil quilômetros da capital Moscou, onde são levados condenados por crimes graves.

Conhecida como "Lobo Polar", a prisão é considerada uma das mais duras da Rússia. Ela foi fundada na década de 1960, como parte do que foi o sistema soviético gulag de campos de trabalho forçado.

Navalny estava cumprindo uma sentença de 19 anos de prisão por "extremismo". Ele era o principal líder da oposição contra Putin há mais de uma década.

Há quatro anos, Navalny foi envenenado com um agente nervoso do grupo Novichok, considerado uma arma química. Ele ficou internado em um hospital em Berlim por um mês. A substância foi confirmada por laboratórios da Alemanha, França e Suécia. O governo russo negou qualquer envolvimento.

Presidente do Conselho Europeu atribui morte de Navalny ao governo russo. Em publicação no X (ex-Twitter), Charles Michel disse que o "regime russo é o único responsável" pela morte de Navalny, que "fez o sacrifício final por seus ideais".

Continua após a publicidade

*Com informaçãoes da Reuters e AFP

Deixe seu comentário

Só para assinantes